Pernambucano Vinicius Sarmento é tema de episódio de série dirigida por Yamandu Costa

Vinicius e Yamandu gravaram em locações externas e internas em Olinda e no Recife. Foto: Canal Brasil/Divulgação
Vinicius e Yamandu gravaram em locações externas e internas em Olinda e no Recife. Foto: Canal Brasil/Divulgação

Reza a lenda que um cigano trouxe o violão de sete cordas ao Brasil. Ele teria fugido da Revolução Soviética, na década de 1930 ou 1950 (como toda narrativa popular, a data é imprecisa) e seria o responsável pela futura popularidade do instrumento criado no século 19 – inicialmente nas rodas de samba e choro cariocas e, depois, em salas de concerto de toda a América Latina.

Confira o roteiro de shows no Divirta-se

Imprecisa, a história impulsionou a ida para Moscou da equipe de produção da série Sete vidas em 7 cordas. São sete documentários, com exibição semanal a partir de hoje, às 19h, no Canal Brasil, com horários alternativos nas terças, às 18h, e nos domingos, às 11h30.

Idealizada em uma conversa de bar entre Pablo Francischelli (diretor), Caio Jobim (produtor) e Yamandu Costa (apresentador), o projeto é composto por sete documentários de 50 minutos. O primeiro é dedicado ao berço da versão brasileira do instrumento, a Rússia. Os outros têm como protagonistas os musicistas Carlinhos 7 Cordas, Rogério Caetano, Luizinho 7 Cordas, Arthur Bonilla – morto em maio, aos 34 anos, em acidente de carro -, Valter Silva e o pernambucano Vinicius Sarmento.

“Há dois momentos: um com Yamandu, em que ele conversa e toca, e um retrato do artista e da música dele”, explica Pablo, diretor de Siba: Nos balés da tormenta e da série Pernambuco Contemporâneo, em parceria com Caio Jobim, sobre artistas do estado, para o Canal Curta!.

Aos 23 anos, Vinicius representa Pernambuco e também o futuro musical das sete cordas. “A gente queria personagens que falassem da tradição, mas também que pudesse representar a nova geração. Ele namora com o samba, choro e gêneros tradicionais do Nordeste. O talento dele é incrível”, explica Yamandu, um dos principais violonistas do país.

Filho de Nuca Sarmento e sobrinho de Bozó das 7 Cordas, Vinicius estuda violão desde os 8 anos e escolheu as sete cordas aos 12. “O violão surgiu como instrumento de acompanhamento. A sétima surgiu a partir da necessidade de ter uma possibilidade maior, com notas mais graves, mais recursos”, conta ele, sobre o fascínio pelo instrumento.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *