Últimas

Plano de investimento da Copergás ganha reforço de R$ 50 milhões

A Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) obteve ontem o sinal verde do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) para a liberação do empréstimo no valor de R$ 50 milhões pleiteado junto ao banco de fomento. A linha de financiamento, com recursos do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE), é subsidiada com juros mais baixos de 9,5% ao ano com o bônus de adimplência e carência de oito anos. Com o aval positivo do BNB para realizar a operação de crédito, a estatal pernambucana de gás vai ampliar o plano de investimentos para os próximos cinco anos de R$ 245 milhões com recursos próprios para quase R$ 300 milhões.

De acordo com o presidente da Copergás, Décio Padilha, a linha de crédito de R$ 50 milhões do BNB vai turbinar o plano de negócios da empresa em 2016. “Vamos investir na ampliação das redes de distribuição de gás e na aquisição de equipamentos e novas estações, com foco na interiorização, principalmente no Agreste”, diz. Uma das obras em andamento é o gasoduto Caruaru-Belo Jardim. Orçada em R$ 60 milhões, a obra de 53 quilômetros deverá ser concluída em meados de agosto do próximo ano, ampliando a rede de distribuição de gás natural da empresa de 661 quilômetros para 713 quilômetros.

A estatal pernambucana de gás fechará o ano de 2015 no ranking da quarta maior empresa em movimentação de gás natural no Brasil. Só perde para a Comgás (São Paulo), Ceg (Minas Gerais) e Ceg Rio (Rio de Janeiro). No Nordeste, a Copergás é líder nesse segmento, posição consolidada nos últimos três meses deste ano com a ampliação da carteira de clientes. Atualmente, a companhia movimenta 4,8 milhões de metros cúbicos/dia do produto.

Segundo Padilha, a operação da Refinaria Abreu e Lima, no Porto de Suape, foi fundamental para a ampliação do consumo de gás natural no estado. O refino de petróleo bruto pela Abreu Lima demanda o consumo de 1,4 milhão de metros cúbicos/dia de gás. A expectativa é dobrar a demanda quando a refinaria começar a produção plena, após a entrada do segundo trem (linha de produção) prevista para 2016 pela Petrobras. Atualmente, são processados 74 mil barris/dia de petróleo, mas a capacidade total é de 115 mil barris/dia.

Padilha destaca a importância da instalação dos novos parques industriais de Pernambuco, entre eles, o polo vidreiro, o polo automotivo e o polo cervejeiro, potenciais consumidores de gás natural. A termelétrica instalada em Suape, a Termope, é outro consumidor intensivo com o uso de 2,10 milhões de metros cúbicos por dia.
Entre 2014 e 2015 a Copergás registrou o crescimento de 17% no volume de vendas de gás incluindo todos os segmentos (industrial, residencial e veicular). “A Copergás andou na contramão da crise. O resultado mostra que o cenário de volume de vendas da empresa é extremamente exitoso. A nossa expectativa é crescer 16% em 2016”, aposta Padilha. A empresa deverá fechar este ano com faturamento bruto de R$ 1 bilhão contra R$ 914 milhões em 2014.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *