Últimas

Problemas na estrutura interditam entrada principal de imóvel no Pátio de São Pedro

O imóvel nº 4 do Pátio de São Pedro, que abriga o Centro de Atendimento ao Turista (CAT), está com a entrada principal interditada desde o aparecimento de problemas estruturais em sua fachada. Segundo informações da superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), não há risco de desabamento. A assessoria da Secretaria de Turismo da Prefeitura do Recife informa que o Centro de Atendimento segue em horário de funcionamento normal, mas funcionários e visitantes devem utilizar uma portaria lateral para adentrar o local.

De acordo com Gisela Montenegro, superintendente do Iphan, o relatório da vistoria ao imóvel está sendo elaborado por um especialista indicado. “A casa, que é propriedade da Prefeitura do Recife, apresentou um problema na fachada, especificamente na cercadura das portas da entrada principal, que é em pedra. Nosso engenheiro foi lá no dia 23 de dezembro e constatou os danos”, explica. Ela conta que o Instituto foi acionado por Lorena Veloso, Gerente de Preservação do Patrimônio Cultural do Recife, e que o engenheiro recebeu um laudo prévio sobre a situação no local no dia de sua visita.

Em posse do laudo, Gisela relata que o problema na fachada se deu devido à oxidação das dobradiças da porta, que danificou a pedra e provocou uma rachadura. “Nosso engenheiro solicitou que aquele trecho fosse isolado, para que não haja queda de pedaços de pedra em nenhum transeunte. Ele também deu as orientações para o escoramento preventivo.” A responsabilidade sobre o imóvel, segundo a superintendente, é compartilhada entre a Prefeitura do Recife e o Instituto, já que o conjunto arquitetônico colonial do Pátio de São Pedro é tombado a nível federal.

Desabamento no Recife Antigo

Na manhã desta terça-feira, um problema na fachada do imóvel 225 da Rua Madre de Deus, no Bairro do Recife, deixou duas pessoas feridas. As vítimas estavam dentro de um veículo atingido por pedaços de alvenaria que caíram do terceiro andar do edifício. A Secretaria Executiva de Controle Urbano (Secon) iniciou a colocação de tapumes ao redor da edificação, interrompendo o tráfego de veículos motorizados no trecho compreendido entre as ruas Marquês de Olinda e Vigário Tenório.

De acordo com a Defesa Civil, o imóvel já havia sido vistoriado, multado e notificado entre os anos de 2013 e 2015. As recomendações apontavam Graus de Risco médio (R2) com recomendações para a recuperação da fachada do da edificação.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *