Queda de 5,6% no varejo ante outubro/2014 é o pior resultado para o mês, diz IBGE

A queda de 5,6% no volume de vendas do varejo em outubro de 2015 ante o mesmo período de 2014 foi o pior resultado para o mês da série histórica da Pesquisa Mensal de Comércio, iniciada em 2001 informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).Já a retração de 11,8% registrada pelo varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, foi a mais acentuada de toda a série histórica, que nesse caso começa em 2005.

“Outubro tem um efeito calendário a favor de 2014. Houve mais (dois) dias úteis em outubro de 2014 do que em outubro de 2015”, disse Isabella Nunes, gerente da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE.

Todas as atividades pesquisadas registraram recuo no volume vendido. A perda no varejo restrito foi puxado pela queda em móveis e eletrodomésticos (-16,1%), seguido por combustíveis e lubrificantes (-11,4%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (-9,0%). Os três setores juntos responderam por 75,0% da taxa global do varejo em outubro ante outubro de 2014.

A retração nas vendas dos combustíveis foi a mais acentuada desde junho de 2006, quando houve redução de 12,7%. Os reajustes nos preços estão afastando os consumidores. “O preço dos combustíveis está evoluindo acima da inflação, ou seja, é um inibidor de consumo”, afirmou Isabella.

Os demais resultados negativos foram registrados por vestuário e calçados (-9,7%), livros, jornais, revistas e papelaria, (-9,5%) hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,3%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-25,9%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-0,4%).

No varejo ampliado, a queda de 11,8% foi provocada pelo recuo de 23,9% nas vendas de veículos e motos, partes e peças. O desempenho da atividade foi o pior desde junho de 2002, quando caiu 24,6%. A atividade de material de construção registrou baixa de 15,7% ante outubro de 2014, maior recuo desde abril 2009, quando a queda foi de 15,8%.

Revisões
O IBGE revisou o volume de vendas no varejo em setembro ante agosto, de -0,5% para -0,3%. A taxa de agosto ante julho também foi revista, de -0,9% para -0,8%. No varejo ampliado, a taxa de setembro ante agosto passou de -1,5% para -1,6%.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *