Últimas

Réveillon Barraca VIP, na orla de Piedade, é cancelado por falta de licença

Isolamento para festa paga foi barrado pela SPU. Foto: Divulgação
Isolamento para festa paga foi barrado pela SPU. Foto: Divulgação

Às vésperas do réveillon, o isolamento de uma área de 2.800 metros quadrados para uma festa paga gerou indignação na praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes. Segundo informações da Superintendência em Pernambuco da Secretaria do Patrimônio da União (SPU) publicadas no Diario Oficial da União, Antônio Nicolau da Silva Filho obteve um Termo de Outorga de Permissão de Uso para realizar o “Réveillon Barraca Vip 2016”. No começo da tarde, a Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes informou que o evento não tinha licença e determinou a retirada dos tapumes.

Segundo o secretário de Ordem Pública e Segurança Cidadã de Jaboatão dos Guararapes, Elmo Freitas, foi oferecida aos organizadores a possibilidade de obter licença como todos os outros barraqueiros operando na praia, desde que para uma festa sem isolamento. “Eles disseram que fariam aberto”, registrou, acrescentando que conversara até com advogados dos empresários, mas sem recordar os nomes. “Não vai haver o evento”, garantiu, às 13 horas, Renaldy Oliveira, 36 anos, sócio do empreendimento.

A área que amanheceu isolada por espécies de tapumes tinha 2.800 metros quadrados, situada à frente da Rua São Francisco. Segundo o próprio documento da SPU, cabia a Antônio Nicolau observar que “os equipamentos não poderão impedir o livre e franco acesso em qualquer direção e sentido à praia ou ao mar”, a “obtenção de autorização junto a outros órgãos federais e estaduais, para a realização do evento”, e “licenciamento ambiental do órgão competente”, além da “obediência às demais normas legais vigentes, principalmente as ambientais, urbanísticas e de segurança”.

Sócio do empreendimento, Renaldy Oliveira, 36 anos, disse que todas as licenças haviam sido obtidas, mas a Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes exigiu que a festa ocorresse em área aberta, com o que os organizadores não concordavam. Segundo outro sócio, Diogo Araújo, já haviam sido comercializadas vinte mesas (R$ 650,00 cada). Renaldy Oliveira disse que quem adquiriu ingressos será ressarcido e que uma nota seria publicada na fanpage do empreendimento, inclusive com telefone de contato.

A estrutura era para 400 pessoas, com direito a “open bar” de cerveja Budweiser, “open food”, segurança particular, postos médico e de bombeiro, espaços “kids” e “lounge”, Play Nigth Orquestra e dj Bola Mix. O uso da área foi liberado pela SPU mediante o pagamento de R$ 250,00 a título de “despesas administrativas” e R$ 3.422,08, para “contribuição pela utilização da área”.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *