Revistas em papel estão vendendo cada vez menos

Da Redação do site Tudocelular.com.br

O declínio a longo prazo nas vendas de revistas acelerou muito 2015, os famosos semanários (aqui no Brasil representado por revistas como a Época, Istoé e similares), por muito tempo o coração espiritual, se não os maiores geradores de renda na categoria, estão liderando o declínio. Vendas de revistas caíram de forma pesada em países como os EUA e o Canadá chegando a uma redução de quase 9,8% em relação ao ano passado. Quando levamos em conta as vendas no primeiro semestre a queda é ainda maior, de cerca de 13,9% em relação ao mesmo período de 2014.

Lá fora o declínio nas vendas primeiro semestre foi acentuada pelo colapso da Source Interlink, uma imensa editora que contava com mais 6000 empregados. No Brasil estamos presenciando o lento fim da editora Abril, responsável pela muito criticada Veja, que parece reduzir de tamanho a cada mês, publicando um número menor de revistas.

Por enquanto, o que podemos notar em termos de sobrevivência são as revistas mais especializadas, especialmente na categoria entretenimento, como revistas sobre cinema, ou literatura, com queda de apenas 1%. As maiores quedas aconteceram nos setores de revistas para adolescentes e crianças com as vendas chegando à assombrosos 26,4%. Ou seja, essas novas gerações estão cada vez mais desacostumadas com este tipo de mídia.

Os celulares certamente são um dos principais responsáveis por essa queda, com suas telas cada vez maiores, eles tem se tornado a opção preferida de muitas pessoas na hora de ler artigos e se informar. Certamente em uma década, poucas publicações serão capazes de se sustentar usando formatos em papel.

Fonte: Tudocelular.com.br
Notícia originalmente postada pelo site Tudo Celular.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *