Últimas

Segurança Pública aponta uma redução de 24% nos índices da morte de jovens

Estatística confrontou dados do ano passado com vítimas na faixa etária de 12 a 17 anos

 

Após a divulgação de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que disponibilizou números comparativos a mortes violentas de jovem em todo o país, a Secretaria de Segurança Pública de Alagoas publica dados apresentando uma redução sobre mortes de jovens.

Na faixa etária de 12 a 17 anos, em comparação ao ano passado houve retração de 24% nos índices indicadores. De acordo com Núcleo de Estatística e Análise Criminal (Neac) disponibiliza os índices de mortes de jovens de 12 a 17 anos e de 18 a 29.

Num levantamento preciso pode-se afirmar que em 2014, em Alagoas, foram mortos 233 jovens dos 12 aos 17 anos e em 2015 os registros somam 176, ou seja, -24,4%.

Na outra faixa etária, referindo-se a homens jovens, dos 18 aos 29, os gráficos apontam 881 mortes no ano passado e neste 722, perfazendo uma redução de 18%. Os números são de comparação do período de janeiro a outubro nos dois anos. Conforme as perspectivas da SSP, até o final de dezembro há de se apresentar mais queda nesse tipo de óbito em Alagoas.

Uma pesquisa elaborada para coletar dados sobre a Estatística do Registro Civil em todo país mostrou que Alagoas teve um aumento nos percentuais de mortes violentas entre 1974 e 2004. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Alagoas apresentou um crescimento de 73% para 160% no número de óbitos violentos entre homens. Ceará que também acompanhou o crescimento apresentou uma taxa de 69,3% para 141,5%.

Estes dois estados apresentaram os maiores percentuais, no grupo de 20 a 24 anos de idade – 332,6 mortes violentas masculinas a cada 100 mil jovens, em Alagoas, e 264,8 a cada 100 mil jovens, no Ceará. Em 2004, estes valores eram de 130,3 e 96,1, neste grupo de idade, respectivamente.

 

Por Cadaminuto

Foto Internet

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *