Sul-africano considerado obeso na Nova Zelândia retornará a seu país

O cozinheiro sul-africano que as autoridades da Nova Zelândia consideravam “muito gordo” para continuar no país desistiu do plano migratório e decidiu retornar para a África do Sul, informou a imprensa neozelandesa.

Albert Buitenhuis, de 130 quilos, e sua mulher Marthie enfrentaram uma eventual expulsão em 2013, depois que não conseguiram renovar o visto de trabalho por causa do custo potencial da obesidade do cozinheiro para o sistema de saúde da Nova Zelândia.

O governo terminou autorizando o casal a permanecer por mais dois anos no país, desde que Albert Buitenhuis se comprometesse a pagar por todos os gastos médicos derivados de seu estado físico.

“Nossa demanda de renovação foi rejeitada e nos vimos obrigados a deixar de trabalhar no fim de outubro”, afirmou nesta sexta-feira o sul-africano ao jornal New Zealand Herald.

“Dizem que não estou em situação legal e que meu patrão não procurou de maneira suficiente se um neozelandês podia fazer o meu trabalho”, completou, antes de informar que vai retornar para Pretória.

Albert Buitenhuis deixou a África do Sul em 2007 e se mudou para Christchurch, na Ilha Sul da Nova Zelândia. Na época ele pesava 160 quilos. Apesar do pedido de residência permanente ter sido rejeitado em 2011, o sul-africano só começou a ter problemas para renovar o visto de trabalho em 2013.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *