Testamos o Vibe, aposta da Lenovo para combater o Zenfone 2

A Lenovo comprou a Motorola em outubro de 2014, pagando ao proprietário anterior, o Google, quase US$ 3 bilhões. Com isso, a linha de smartphones da empresa passou a manter em seu catálogo alguns dos modelos mais vendidos do Brasil, como o Moto G e o Moto X.

Pouco mais de um ano depois, a chinesa resolveu trazer ao país sua própria linha de celulares, como uma forma de criar uma concorrência saudável dentro do próprio quintal. Foi anunciado, portanto, o primeiro smartphone da linha Vibe no Brasil: o Lenovo Vibe A7010.

O Olhar Digital teve a chance de não apenas pôr as mãos, mas também experimentar o que o aparelho tem a oferecer. A conclusão é de que suas configurações de alto nível e preço intermediário (R$ 1.300) o colocam como um bom rival para o “colega de trabalho” Moto X, e também para os concorrentes LG G4 e, principalmente, o Zenfone 2 da Asus.

Design e tela

O aparelho chama a atenção por se distanciar visualmente da linha Motorola, com uma identidade visual própria, mas sem perder os traços do parentesco com o Moto X. A traseira fosca, contornada por uma lateral que lembra um material metálico, dão um toque de sofisticação e também potência ao aparelho.

Mesmo com uma tela grande de 5,5 polegadas, o Vibe A7010 é leve e se encaixa bem na mão do usuário, especialmente graças à traseira curva que é marca da Motorola. Os sensores de proximidade não ficam expostos, assim como os botões de navegação capacitivos e discretos.

Um recurso interessante compensa o tamanho da tela: um simples gesto no formato da letra “C” na lateral direita da tela faz com que todo o ecrã diminua e fique localizado ao alcance de apenas um dedo. Um salva-vidas para quem frequentemente precisa usar o celular com uma mão só.

Áudio

Um ponto que chama bastante a atenção no Vibe, porém, é o seu potente sistema de áudio. O aparelho vem com duas saídas frontais de som em modo stereo e, por dentro, a tecnologia Dolby Atmos, usada em salas de cinema de todo o mundo.

Na prática, o sistema permite muito mais imersão, dividindo os canais de áudio de maneira que o som pareça vir de todos os lados. Usando fones de ouvido com fio, o sistema é particularmente mais notável na execução de vídeos, séries, filmes e música.

Mas para ligações e mensagens de áudio no Whatsapp, por exemplo, a diferença é quase imperceptível. Se você estiver usando um fone sem fio, por conexão Bluetooth, por exemplo, há também a chance de que o Dolby Atmos não se faça tão presente.

Reprodução

Performance

Em nossas horas de teste com o Vibe, não registramos qualquer travamento ou lentidão que prejudicasse a experiência. Pelo contrário: os oito núcleos do processador MediaTek MT6752 de 64 bits e os 2GB de memóriam RAM garantem uma performance rápida e leve.

Ao contrário da Motorola, os celulares fabricados diretamente pela Lenovo não vêm com o design puro do sistema operacional. A customização aplicada ao Android 5.1 Lollipop do Vibe, porém, não é tão extravagante ou pesada quanto a TouchWiz da Samsung, por exemplo, mas pode incomodar os fãs mais puristas do Google.

Além disso, o smartphone vem com um curioso widget na tela de aplicativos recentes que mostra quanto espaço de memória RAM está sendo consumido no momento. Ao tocar sobre o ícone (uma vassoura), todos os apps em execução que não estão sendo utilizados são fechados.

Câmera

Na parte de trás do Vibe A7010 há uma câmera de 13MP com dual-flash e um sensor capaz de registrar imagens com cores vivas e bem definidas. Na parte frontal, a câmera para selfies tem 5MP de resolução e também vem acompanhada de um flash.

O software é o que faz a diferença. A câmera frontal dispara quando o usuário fizer um sinal de V com os dedos e ainda possui um sistema de correção automática que torna desnecessário aquele tratamento por Photoshop na hora de corrigir imperfeições.

O Vibe reconhece os rostos que aparecem na imagem e corrige automaticamente o tom de pele e a luminosidade, aplicando uma espécie de “base” virtual ao rosto da pessoa fotografada. Espinhas, reflexos de oleosidade e outras marcas naturais da pele desaparecem, mas, por outro lado, a imagem acaba soando um tanto artificial se o recurso estiver ativado.

Biometria

Um dos fatores que mais chamam a atenção no Vibe A7010 é a preocupação da Lenovo com segurança. O modelo é o primeiro do Brasil a vir com um sensor de impressão digital inteligente, que reconhece a biometria do dono independentemente da posição do dedo.

No entanto, o processo de configuração é um pouco problemático. O software faz um mapa da impressão digital do usuário pedindo que ele movimente o dedo a cada ordem, registrando cada região do dedo separadamente e depois montando-as como em um quebra-cabeça.

O problema é que, dependendo do tamanho do dedo do usuário, o sistema do Vibe pode ter dificuldades para realizar a calibração. Em nosso teste, o aparelho precisou de quatro tentativas até finalmente reconhecer o dedo e registrar a impressão digital. Mas uma vez que a biometria é cadastrada, o aparelho responde rapidamente ao toque do dono, desbloqueando a tela sem burocracias.

Área Segura

Ainda no campo da preocupação com segurança, o Vibe A7010 vem com um recurso chamado “Área Segura”. Na prática, o aparelho é capaz de administrar duas áreas de trabalho distintas, cada uma com o próprio perfil logado, tela de bloqueio, plano de fundo e aplicativos.

Com esse recurso, é possível garantir a segurança de dados e aplicações mais sensíveis, longe do alcance de bisbilhoteiros. Por exemplo: o usuário pode usar dois chips, de duas operadoras diferentes, e cada um possuir a própria área de trabalho. Em um deles, a conexão será por Wi-Fi, enquanto o outro usa a rede móvel (que possui suporte a 4G); e-mails e mensagens do trabalho também podem ser diferenciados daqueles do perfil “casual”; entre outros benefícios.

A transição entre as áreas de trabalho é rápida e dinâmica, e não ocasionou qualquer travamento em nossos testes. Todas as configurações podem ser divididas em dois perfis, e customizadas de acordo com a vontade do usuário. Além disso, as notificações são visíveis de ambos os lados, embora seja possível configurar o que pode ser visto na área padrão e o que é preciso manter em segredo.

Conclusão

Com um preço razoavelmente acessível, o Vibe A7010 cumpre o que promete. Boa performance, recursos úteis e design moderno podem fazer do celular uma nova mina de ouro para a Lenovo no Brasil (considerando o constante aumento de preço no atual intermediário da família Motorola, o Moto G).

Um concorrente que pode se ver em perigo é o Zenfone 2, que também traz ótimas configurações e uma experiência de alto nível mesmo sem exigir demais do bolso brasileiro. O Vibe A7010 é mais uma boa oferta de smartphone em um mercado que, de vez em quando, precisa ficar mais agitado.

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *