Últimas

Unicef se preocupa que o uso de aplicativos de paquera estejam gerando surtos de Aids

Da Redação do site Tudocelular.com.br

A Unicef publicou um estudo essa semana, falando sobre a relação entre os aplicativos de paquera e relacionamentos como Jack’d, Tinder, Blue’d e Grindr com o HIV, e como eles estariam ajudando a criar uma “epidemia escondida” entre jovens da região da Ásia-Pacífico. Segundo o estudo estamos presenciando um aumento substancial de casos de Aids em uma região até então pouco afetada pela doença. Os adolescentes entre 15 e 19 anos respondem agora por uma em cada sete novas infecções, segundo o jornal Telegraph.

Estamos vivendo às vésperas do Dia Mundial de Combate à AIDS, e a Unicef avisa que a população jovem masculina está sob o maior risco na região: cerca de 50 mil (15%) dos 340 mil novos casos envolvem jovens do sexo masculino. O motivo? O aumento do número de parceiros sem preservativos, trazidos pelos apps de paquera. Segundo Wing-Sie Chang, especialista da Unicef em HIV/Aids, o uso dos “aplicativos de relacionamento aumentou as opções de sexo casual espontâneo como nunca” e que isso “definitivamente cria” um fator de risco, como múltiplos parceiros sexuais durante o ato sexual sem camisinha.

Apesar do lado negativo, a pesquisa também informa que estes aplicativos podem ser usados para ajudar no combate a doença. Segundo o estudo, eles podem ser um ótimo meio de gerar alerta e engajar a população mais jovem para os riscos da AIDS, comunicando não apenas o uso da camisinha, como a necessidade dos testes.

Embora os resultados atuais demonstrem que 220 mil adolescentes da Ásia-Pacífico sejam portadores do HIV, este número pode ser bem maior nas grandes cidades como Bangcoc, Jacarta e Hanói. Isso ocorre porque a maior parte dos jovens não procuram ou não podem fazer o teste para saber se estão com a doença, pois apenas dez países da região permitem que menores de idade façam testes de HIV.

Fonte: Tudocelular.com.br
Notícia originalmente postada pelo site Tudo Celular.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *