Últimas

WhatsApp deve multa de R$ 12,7 milhões à Justiça brasileira

Da Redação do site Tudocelular.com.br

Se você acha que os problemas do WhatsApp foram resolvidos com a volta do aplicativo, saiba que ainda existe muita coisa por trás disso. Bloqueado em território nacional por descumprir ordens judiciais, o aplicativo de mensagens que pertence ao Facebook já havia sido multado anteriormente em R$ 12,7 milhões pela Justiça brasileira, embora este valor não tenha sido pago até então. O valor, citado pelo Jornal Nacional na noite de quinta-feira, 17, continua valendo.

As informações do JN afirmam que o WhatsApp foi bloqueado como uma forma de fazer com que a empresa cumprisse a ordem judicial, e teve o estabelecimento de uma multa de R$ 100 mil por dia. Desde que o caso foi apurado, o WhatsApp teve quase meses para se manifestar, embora isso não tenha acontecido.

De acordo com os delegados do caso entrevistados pelo JN, os criminosos são indiretamente beneficiados com a ação do WhatsApp em não querer fornecer acesso às informações. A empresa precisava dar uma senha para que a polícia pudesse ler e ouvir as trocas de mensagens, e então o caso, aparentemente, já teria sido resolvido.

George Melão, presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do estado de SP, afirma que o WhatsApp precisa se adequar às leis brasileiras para continuar fornecendo seus serviços por aqui.

A partir do momento que ela transfere parte dos serviços dela pra prestar aqui no Brasil, tem que se enquadrar à legislação brasileira.

O bloqueio do WhatsApp durou apenas cerca de 12 horas e, com a determinação de um desembargador na tarde de ontem, acabou voltando ao ar. A medida, considerada exagerada pelo desembargador (e por praticamente todos os usuário brasileiros), afetou mais de 100 milhões de pessoas aqui no país e acabou surtindo efeito em países vizinhos que também ficaram sem WhatsApp por algumas horas.

Deste modo, o tribunal de Justiça de São Paulo suspendeu o bloqueio do aplicativo, embora a multa milionária tenha sido mantida até o julgamento da ação.

Fonte: Tudocelular.com.br
Notícia originalmente postada pelo site Tudo Celular.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *