Xiaomi Mi 5 não deve contar com a tecnologia de biometria feita pela Qualcomm

Da Redação do site Tudocelular.com.br

Por utilizar o chipset mais recente da Qualcomm, Snapdragon 820, esperava-se que o Xiaomi Mi 5 contasse com a última tecnologia biométrica da fabricante de módulos especiais para o mundo mobile, Snapdragon Sense ID, porém isto não deve acontecer. Quem acredita nisto é Pan Jiutang, um famoso analista do continente asiático, sempre antenado no mercado de telefonia móvel, tentando prever o que está por vir neste imenso setor comercial, então é válido prestar atenção no que o profissional tem a dizer. Sabendo que o mecanismo de identificação de usuário não estará embutido no próximo celular elitizado da companhia chinesa, acredita-se que a leitura de impressões digitais seja realizada de uma outra forma.

Snapdragon Sense ID é o ultimato da tecnologia biométrica, capaz de realizar a leitura da impressão digital do usuário até se o dedo do mesmo estiver molhado ou sujo, além de funcionar em qualquer superfície, independentemente do material. Isto significa, por exemplo, que o componente de identificação poderia ser implementado diretamente no display de um dispositivo portátil, removendo a necessidade dele portar um botão físico a fim de aposentar as senhas, padrões e demais quebras-cabeça na liberação da interface ou na efetuação de pagamentos. Voltando ao páreo principal da matéria, Xiaomi Mi 5 não deve contar com a novidade animadora, mantendo a peça anexada à carcaça do aparelho para identificar o utilizador. Curiosamente, foi exatamente isto o que noticiamos ainda nesta terça-feira, 08 de dezembro, onde uma renderização do suposto futuro carro-chefe da empresa asiática deu as caras com tal função.

De resto, o Xiaomi Mi 5 deve se manter em alguma das primeiras posições da lista de melhores celulares de 2016, trazendo um vantajoso conjunto de especificações técnicas, incluindo uma tela de 5,2 polegadas com resolução Full HD (1920 x 1080 pixels), 4 GB de RAM, chipset Qualcomm Snapdragon 820, trazendo processador com quatro núcleos feitos em arquitetura própria da fabricante estadunidense, além da Adreno 530 como placa gráfica, modelos de 16 GB ou 32 GB de memória para o armazenamento interno, câmera principal de 16 megapixels, câmera frontal de 8 megapixels, suporte ao conector universal USB Type-C e o Android 5.1.1 Lollipop como sistema operacional, modificado pela interface própria da gigante da Ásia, MIUI, provavelmente com atualização garantida para o 6.0 Marshmallow.

Caso tudo ocorra como o esperado, Xiaomi Mi 5 será apresentado formalmente no primeiro trimestre de 2016.

Fonte: Tudocelular.com.br
Notícia originalmente postada pelo site Tudo Celular.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *