Últimas

Agentes comunitários são escalados para o combate contra o Aedes aegytpi no Recife

Ação é coordenada pela Prefeitura do Recife. Foto: Hesiodo Goes/Esp. DP
Ação é coordenada pela Prefeitura do Recife. Foto: Hesiodo Goes/Esp. DP

Mais uma“arma”será usada no combate ao mosquito Aedes aegytpi no Recife a partir deste domingo (3). Agentes comunitários de saúde serão capacitados para atuar na orientação à população durante as visitas de rotina e também na identificação de focos do mosquito. A ação fará parte do segundo ciclo de atividades da Secretaria de Saúde da cidade na “guerra” contra o vetor dos vírus da dengue, zika e chikungunya. Neste fim de semana, cerca de 4 mil imóveis estão sendo visitados nos bairros da Várzea e de Jardim SãoPaulo, finalizando o primeiro ciclo de atividades. Atualmente, homens do Exército e da Aeronáutica, guardas municipais e agentes de saúde e controle de endemias (asaces) atuam no combate ao mosquito no Recife.Os agentes comunitários de saúde começarão a atuar apartir de amanhã, em quantidade ainda não definida.

O apoio deles será um reforço ao trabalho, pela influência que eles costumam ter dentro das comunidades. “Eles têm capacitação técnica, conhecem a comunidade, têm acesso aos imóveis. Já existe uma relação de confiança. É uma força a mais para sensibilizar a população para essa problemática”, explicou a secretária-executiva de Vigilância à Saúde, Cristiane Pena forte.

A princípio, as equipes atuarão durante a semana. Os mutirões de fim de semana, ini-ciados no dia 29 de novembro, permanecerão acontecendo. Ontem, 70 militares, 24 asaces e quatro supervisores estiveram na Várzea, ZonaOeste, e Jardim São Paulo, na Zona Sul, onde permanecerão em vistorias hoje também.

Segundo o último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa),a Várzea tem um alto índice de infetação predial. Entre os dias 25 de outubro e o dia 19 de dezembro, o bairro teve seis casos de chikungunya e 34 de dengue confirmados. Jardim São Paulo teve sete casos de dengue confirmados no mesmo período.

Durante o primeiro ciclo de mutirões, nos últimos 20 dias, o percentual de recusa s às vi-sitações das equipes diminuiu de 1,5% para 0,5% dos imóveis catalogados.“Com o início do período de chuvas, vamos também reforçar as orientações para que a população redobre o cuidado com calhas, pratinhos de plantas e caixas d’á-gua abertas”. Ontem, a técnica de enfermagem Carmen Tavares ficou surpresa com as larvas encontradas pelos agentes nos tonéis que ela mantém no quintal, em Brasilit. “Estamos acumulando água há um mês, desde que começou um racionamento. Agora vou ficar mais cuidadosa”, garantiu.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *