Últimas

Chuva causa prejuízos e bloqueia rodovias em três estados

No PR, mais de 12 mil pessoas em 41 cidades foram atingidas pela chuva. Há alagamentos de rodovias em SP; MS tem 25 cidades em emergência

 

A chuva dos últimos dias tem provocado prejuízos em ao menos três estados: Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo. São casas desmoronadas, pessoas desalojadas e desabrigadas, alagamentos e bloqueios de ruas e estradas, além de transbordamento de rios.

No Paraná, mais de 12 mil pessoas em 41 municípios foram atingidas pela chuva entre sábado (9) e terça-feira (12). Em São Paulo, 3 pessoas morreram esse fim de semana e a região de Campinas (SP) tem 12 cidades em estado de atenção devido ao acumulado de chuvas nos últimos três dias. Em Mato Grosso do Sul, famílias ilhadas estão perdendo 10.000 litros de leite por conta da chuva e mais de 67 mil seguem desabrigadas e desalojadas.

Veja abaixo a situação em cada estado:

MATO GROSSO DO SUL
Já chega a 67 mil o número de pessoas desabrigadas e desalojadas por causa das fortes chuvas em sete municípios de Mato Grosso do Sul desde o começo do ano, segundo a assessoria da Defesa Civil. Em todo o estado, 25 municípios decretaram estado de emergência.

Só no município de Bela Vista, mais de 70 famílias ficaram desabrigadas depois de o nível do rio Apa subir e provocar enchentes em três bairros da cidade.

A Defesa Civil informou que já são 24 pontes danificadas no estado. Em relação às rodovias estaduais, quatro estão danificadas em Naviraí, três em Iguatemi, três em Aral Moreira e uma em Sete Quedas. Em Aral Moreira, 13 rodovias municipais foram estragadas. Já no município de Naviraí, quatro rodovias ficaram destruídas.

Cerca de 200 famílias também estão isoladas no assentamento Bela Manhã em Taquarussu, cidade a 318 km de Campo Grande. Segundo o prefeito do município, Roberto Tavares, cerca de 10 mil litros de leite foram perdidos pelos produtores do assentamento porque caminhões não conseguem chegar ao local.

Entre os rios em estado de alerta por causa da cheia estão o Rio Aquidauana, que subiu 4 centímetros na terça-feira e invadiu casas; o Rio Pardo, que atingiu 604 cm de cheia e o Rio Taquari, que preocupa a população ribeirinha de Coxim.

Região alagada em Taquarussu, MS (Foto: Divulgação/ Secretaria de Meio Ambiente de Taquarussu)Região alagada em Taquarussu, MS (Foto: Divulgação/ Secretaria de Meio Ambiente de Taquarussu)

PARANÁ

Mais de 12 mil pessoas em 41 municípios do Paraná foram atingidas pela chuva entre sábado (9) e terça-feira (12). O último boletim da Defesa Civil foi divulgado às 14h desta quarta (13). No total, são 12.290 atingidos – sendo que 143 estão desabrigados, 896 desalojados, quatro pessoas estão feridas e uma está desaparecida.

A cidade com mais prejuízos é Jataizinho, no norte do estado, com 6,4 mil pessoas atingidas, 350 delas desalojadas e 50 desabrigadas

Em Rolândia, o motorista de uma empresa de couro está desaparecido desde a noite de segunda-feira (11). Ele sumiu depois de ser levado por uma enxurrada enquanto dirigia um ônibus.

Cerca de 350 mil moradores de Maringá, o que equivale a 85% da população do município, estão sem água nesta quarta-feira. De acordo com a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), aestação de captação de água foi inundada após o nível do Rio Pirapó subir oito metros.

A Prefeitura de Londrina decretou situação de emergência, na terça-feira, por causa dos estragos. De acordo com a administração municipal, a coleta de lixo em toda a cidade foi suspensa, pois a Central de Tratamento de Resíduos está ilhada.

A chuva também causou estragos em diversos trechos de rodovias federais e estaduais. Por causa disso, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), determinou a estruturação de uma ação emergencial para recuperar os prejuízos.

De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR), o prejuízo já passa de R$ 50 milhões em 22 pontos de rodovias estaduais. Além disso, há outros dez pontos problemáticos em rodovias federais concessionadas.

G1

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *