Marchantes e fateiras pretendem anular processo licitatório do novo matadouro de Arapiraca

A volta do funcionamento do Frigovale hoje deve provocar uma reação dos marchantes e fateiras e poderão voltar a protestar em frente ao empreendimento, segundo uma das lideranças dos trabalhadores. Existe também uma proposta dos trabalhadores em tornar nulo na Justiça o edital licitatório que deu como vencedor a empresa Frigovale, ao mesmo tempo, que poderá ser formada uma cooperativa para encampanhar o prédio e a gestão passar a ser dos trabalhadores.
A população de Arapiraca conta a partir de hoje com dois abatedouros de animais. Um é o antigo matadouro municipal e o outro é o frigorífico Frigovale. O impasse entre os marchantes e os diretores do frigorífico Frigovale gerou uma situação anômala, onde um funciona sem as condições sanitárias e higiene exigidas pelo Ministério da Agricultura e também da saúde.
Os empresários da Frigovale relutam em reduzir os valores do abate dos animais e se recusam devolver os subprodutos (viceras e fígado) ao fornecedor. Os representantes dos trabalhadores do antigo matadouro prometem reagir e pressionar o poder público, que cedeu o prédio público onde está funcionando o frigorífico privado.
O empreendimento recebeu incentivos fiscais tanto do governo do estado como da prefeitura para funcionar, e segundo os trabalhadores do antigo matadouro esses benefícios tributários dão margem de financeiras para o valor cobrado pelo abate seja reduzido.
Por: 7segundos

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *