Últimas

Prefeitura de Penedo será investigada por gastos elevados com combustível

Representação do MP de Contas foi aprovada pelo Tribunal de Contas. Prefeito Marcius Beltrão diz que processo foi gerado após denúncia política.

 

Gastos elevados e suspeitos com combustível pela prefeitura de Penedo durante o período de 2004 a 2008, além da falta de publicidade na indicação da empresa fornecedora, serão apurados após uma representação apresentada pelo Ministério Público de Contas ser aprovada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A representação em desfavor do prefeito do município, Marcius Beltrão Siqueira (PDT), apresenta denúncias e documentos encaminhados ao MP de Contas apontando que os gastos públicos com combustível saltaram de R$ 853.336,59, em 2004, para R$ 2.958.955,25, no ano de 2008.

Por telefone Macius Beltrão disse à reportagem do G1 que a denúncia foi motivada por desavença política durante um processo eleitoral e que ele está aberto a atender qualquer solicitação feita pelo TCE.

“Essa é uma denúncia muito antiga feita durante um processo eleitoral. Algo que não passa de factóide político. Desconheço o teor da denúncia porque sei que todas as contratações feitas à época foram regulares. Assim, estou aberto a atender qualquer solicitação do TCE para contribuir com a investigação e sanar qualquer dúvida a respeito do uso do dinheiro público”, expôs.

Denúncia
Segundo a denúncia apresentada, comparados com os gastos de 2007, no montante de R$ 1.017.603,08, as despesas com combustível na gestão quase triplicaram em 2008. Expõe o processo que acentua ainda a questão do ano de 2008 ter sido sido ano eleitoral.

Para aprofundar as investigações, o MP de Contas requisitou ao prefeito uma cópia do processo de contratação da empresa fornecedora de combustível no período citado, mas ele encaminhou documentação referente ao ano de 2011.

O ministério insistiu duas vezes solicitando os documentos, mas, nas duas ocasiões, o prefeito permaneceu omisso, segundo o MP de Contas, evitando atender as requisições ministeriais e colaborar com as investigações.

Sendo assim, o MP de Contas procurou a pesquisa do Sistema Integrado de Controle e Auditoria Pública (SICAP) e verificou que a prefeitura tinha omitido também a informação de quem é a empresa credora e beneficiária dos gastos com combustível, fortalecendo os indícios de irregularidades nas despesas.

 

Da redação com G1

Foto Arquivo CP

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

1 comentário

  1. ÊTA PREFEITINHO MALABARISTA, O MP PEDE UMA COISA ELE VEM COM OUTRA TOTALMENTE DIFERENTE, E AGORA PREFEITO CADÊ O DINHEIRO DOS COMBUSTIVEIS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *