Últimas

4 regras do Google para contratar os melhores profissionais do mercado

Anualmente, o Google recebe mais de 2 milhões de pedidos de emprego em todo mundo. Tida como uma das melhores empresas do mundo para trabalhar, a gigante de tecnologia também é conhecida por sua capacidade de contratar bons profissionais. Mas como conseguir a tão sonhada vaga? Listamos abaixo 4 regras para a contratação na companhia. Confira e veja se você se encaixa no perfil:

1. Defina um alto padrão
“Antes de começar a recrutar, decida quais atributos você deseja e defina como seria um grupo ideal. Uma regra de ouro é contratar apenas pessoas que são melhores do que você”, explica Laszlo Bock, diretor de contratações da empresa, afirmando que isso se aplica a todas as posições. “Se você está contratando um assistente administrativo, não basta procurar por alguém que possa responder a um telefone e agendar reuniões. Procure alguém que vai facilitar o seu trabalho organizando seu tempo e definindo prioridades melhor do que você seria capaz de fazer”, revela.

2. Encontre seus próprios candidatos
O Google trabalha com algumas empresas de recrutamento do mundo todo, mas isso só acontece em situações específicas, como a criação de equipes em outro país. Isso acontece porque a gigante de tecnologia percebeu que muitos usuários desses sites enviam pedidos de emprego genéricos e para diversas empresas.

O Google conta com sites próprios para realizar o processo. Além disso, os gestores ficam bem atentos ao Google +, LinkedIn e bancos de dados de ex-alunos de universidades renomadas.

3. Avalie seus candidatos objetivamente
Uma empresa do tamanho do Google podem se dar ao luxo de ter um grupo de pessoas designadas para passar tempo com cada um dos candidatos. Mesmo para as pequenas empresas, é importante distribuir a responsabilidade de contratar um profissional entre diversas pessoas. “Inclua subordinados e pares nas entrevistas e certifique-se de que os entrevistadores são bons e imparciais na hora da contratação. Periodicamente, volte a olhar as avaliações e compare-as com o desempenho do funcionário, com o objetivo de refinar a capacidade de avaliação.

4. Dê aos candidatos um incentivo para entrarem de cabeça no trabalho
Jonathan Rosenberg, ex-vice presidente de produtos do Google, explica que mantém 200 currículos de funcionários da empresa em seu escritório. “Se um candidato ficasse em cima do muro sobre se juntar ao Google, Jonathan simplesmente mostrava a pilha de currículos e dizia ‘você trabalhará com essas pessoas'”, explica Bock. Entre os currículos estariam o de personalidadades, como o inventor do JavaScript e até atletas olímpicos. De acordo com o executivo, a técnica funciona até hoje.

“Torne claro por que o trabalho é importante e deixe que o candidato saiba quem são as pessoas surpreendentes com quem ele trabalhará”.

Via BusinessInsider

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *