Apresentação de Beyoncé no Super Bowl gera polêmica entre políticos

Foto: Christopher Polk/Getty Images/AFP

Foto: Christopher Polk/Getty Images/AFP

A apresentação da cantora Beyoncé ao lado de Coldplay e Bruno Mars no intervalo do Super Bowl no último domingo (7) ainda está dando o que falar. Tudo isto porque ela escolheu para suas bailarinas um modelito um pouco polêmico: elas vestiam uniforme usado pelo “Partido dos Panteras Negras”.

O movimento “anti-racista” surgiu na década de 1960 nos Estados Unidos, originalmente conhecido por “Black Panther Party, e tinha como objetivo proteger os cidadãos negros da violência da polícia em Oakland, na Califórnia.

Para alguns, a performance de Beyoncé foi só um número com grandes referências históricas e sociais. Mas para policiais e políticos da camada conservadora norte-americana foi um recado bem dado.

Em entrevsita ao progama de televisão Fox & Friends o ex-prefeito de Nova York Rudolph W.Giuliani, a apresentação de Beyoncé no intervalo do Super Bowl foi “afrontosa”. “O que deveríamos fazer pela comunidade de afro-americanos, e todas as comunidades, é dar respeito aos policiais, e nos concentrarmos no fato de que quando alguém faz algo errado, okay, trabalharemos nisso. Mas a maioria dos policiais arriscam suas vidas para nos manter seguros”, declarou em tom de revolta.

Segundo informações do site Ego, a polêmica ultrapassou os limites do país e políticos canadenses se revoltaram com a lembrança trazida por Beyoncé em performance e declararam que a cantora “não pode ser bem-vinda no país”. A cantora tem show marcado no Canadá, no dia 25 de maio. Já nos Estados Unidos, um protesto “anti-Beyoncé” está marcado para esta terça-feira, 16, para bloquar a sede da NFL (liga de futebol americano que promove o Super Bowl).


Fonte: Bastidores da TV

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *