Últimas

Carro de suspeito de matar ganhador da Mega-Sena tem sangue, diz polícia

Câmera flagrou veículo com volume no banco traseiro na saída de Limeira. Para delegado, corpo da vítima foi transportado por cabeleireiro após crime.

 

A Polícia Civil de Limeira (SP) informou nesta sexta-feira (26) que encontrou sangue no banco traseiro do carro usado pelo suspeito de ter matado Arlei Rosa Silva, de 53 anos, ganhador de um bolão da Mega-Sena em 2007. Segundo o delegado Renato Barreto, imagens de câmeras de segurança flagraram o veículo na saída da cidade com um volume que pode ser o corpo da vítima.

Um cabeleireiro de 34 anos teve prisão temporária (30 dias) decretada na noite desta quinta-feira (25) e está preso. Ainda de acordo com o delegado, a registros de outra câmera de segurança que mostram o momento em que Silva entrou na casa do suspeito, no dia 15 deste mês, mas não há imagens dele saindo do imóvel.

Barreto informou que o carro usado pelo cabeleireiro é da mãe dele. Ao verificar o veículo, a polícia constatou que o interior tinha sido lavado, mas ainda assim foi possível identificar restos de sangue no estofamento, segundo o delegado.

Arlei Rosa Silva, ganhador da Mega Sena em 2007, foi achado morto em Limeira (Foto: Acervo da família)Arlei Rosa Silva, ganhador da Mega Sena em
2007, foi achado morto (Foto: Acervo da família)

As imagens do carro foram feitas no dia 16 de fevereiro por câmeras do sistema “Muralha Digital” de Limeira na saída da cidade. Ao retornar, o veículo não apresentava mais o volume suspeito no banco traseiro. “Os técnicos ampliaram as imagens e foi possível ver o corpo no banco traseiro”, afirmou Barreto.

Silva foi localizado no dia 17 de fevereiro por moradores do bairro Pinhal na estrada vicinal que fica às margens da Rodovia Engenheiro João Tosello (SP-147), entre Limeira e Mogi Mirim (SP). O corpo não tinha sinais aparentes de violência e a família chegou a dizer que a vítima poderia ter sido envenenada. A Polícia Civil, no entanto, diz que a causa da morte ainda é indeterminada.

Motivo
Silva era um dos ganhadores de R$ 16 milhões sorteado em maio de 2007 na Mega-Sena, mas a polícia descarta relação entre o prêmio e o crime. O motivo do homicídio, conforme a polícia, foi uma dívida de aluguel que a vítima cobrava do cabeleireiro. Silva era autônomo e vivia da renda de dois imóveis que tinha alugados.

Segundo o delegado, o cabeleireiro negou ter cometido o crime e disse que já informou à polícia tudo o que podia sobre o caso. Conforme Barreto, ainda será investigado se o suspeito teve ajuda de mais alguém para colocar o corpo de Silva no carro.

No retorno para Limeira, veículo não apresentava volume que, para polícia, era corpo de Arlei Rosa Silva (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
No retorno, veículo não apresentava volume que, para polícia, era corpo de Silva (Foto: Divulgação/Polícia)

‘Pessoa boa’
De acordo com uma familiar, que pediu para não ter o nome divulgado, Silva estava separado da esposa há um ano e morava com mais dois amigos no bairro Santana. Ela revelou ainda que o autônomo era “uma pessoa boa, legal e que tinha muitos amigos”. “Ele tinha um coração que não era dele. Ele tirava dele para dar a outra pessoa.”

2º ganhador morto
Em novembro de 2008, outro participante do mesmo bolão da loteria que Silva participou,Altair Aparecido dos Santos, de 43 anos, foi morto a tiros quando saía de uma chácara na região do Jardim do Lago, também em Limeira. No entanto, a polícia descartou a possibilidade de ligação entre os dois casos.

G1

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *