Últimas

Criança sofre com doença congênita e Estado ignora decisão judicial

Portador de uma doença congênita, o jovem Daniel Gomes Oliveira dos Santos, 10 anos, sofre com o medo de perder uma das pernas. Para dar continuidade ao tratamento, o garoto precisa utilizar equipamentos médicos que ultrapassam os R$50 mil. O problema é que a aquisição deste material é de obrigatoriedade do Estado, segundo decisão judicial

A sentença, proferida pelo juiz Alberto de Almeida, então juiz da Comarca de Traipu e atual juiz da Vara da Infância e da Juventude de Arapiraca, foi divulgada em agosto do ano passado, mas até agora o governo não cumpriu com a decisão.
O problema é que nada ameniza as dores sentidas pelo garoto, que está com seu corpo em pleno desenvolvimento.

Peregrinação

Em entrevista ao portal 7 Segundos a mãe da criança, Maria Luzimar Gomes, disse que desde os seis anos de idade a doença começou a apresentar sintomas. “Meu filho começou a andar mancando e perguntei se ele tinha machucado a perna. Foi quando procuramos ajuda médica e soubemos que ele nasceu com esse problema no osso da perna”, relatou a mãe.

Maria Luzimar que é agricultora e mora na Vila São José, zona rural do município de Traipu, disse que desde esse diagnóstico começou uma verdadeira peregrinação para buscar atendimento e uma melhor qualidade de vida para o filho.
Daniel Gomes Oliveira já realizou dez cirurgias para evitar o atrofiamento do osso e precisa usar os aparelhos que ajudam na reabilitação do osso da perna.” Ele sente muitas dores e até desenvolveu uma depressão por tudo que vem sofrendo durante esses anos”, revelou Maria Luzimar.

Segundo Raquel Gomes da Silva, uma amiga da família e que tem ajudado na luta em busca dos direitos da criança, o tratamento completo custa R$ 160 mil. A decisão judicial determinou que o Estado libere R$ 50 mil para a criança poder iniciar o tratamento. “Já que a decisão judicial ainda não foi cumprida o advogado vai entrar com outra ação na justiça para pedir o bloqueio desses recursos nas contas do Estado”, informou Raquel Gomes.

Raquel Gomes disse que acompanha o sofrimento da família há cerca de cinco anos, quando chegou ao município e começou a conviver com o drama de Daniel Gomes. Ela revelou que a criança não consegue participar de eventos sociais com vergonha do problema que atrofia a perna. “Ele precisa também de um apoio psicológico pois não quer sair de casa, afirmando que as outras crianças não são como ele”, disse angustiada.

Além dos recursos do tratamento que estão sendo reivindicados por meio da justiça a família também necessita de itens básicos que ajudariam muito no dia a dia do garoto como uma cadeira de rodas, muletas, medicação entre outros itens necessários aos cuidados diários. “Estamos contando com a solidariedade de amigos e de pessoas que se sensibilizam com o sofrimento dessa família”, finalizou.

Por: 7 Segundos

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *