Deputado sul-coreano defende que seu país se dote de armamento nuclear

Réplica de míssil Scud norte coreano e míssil sul-coreano são expostos em museu de Seul. Foto: Kim Jae-Hwan/Arquivo/AFP
Réplica de míssil Scud norte coreano e míssil sul-coreano são expostos em museu de Seul. Foto: Kim Jae-Hwan/Arquivo/AFP

Um importante parlamentar sul-coreano, membro do partido governante, pediu nesta segunda-feira que Seul se dote de uma força de dissuasão nuclear diante da ameaça crescente dos programas nuclear e armamentístico norte-coreanos.

Os sul-coreanos partidários de que seu país disponha de armamento nuclear são minoria, mas seu número aumenta a cada teste nuclear norte-coreano.

Os Estados Unidos retiraram suas armas nucleares táticas da Coreia do Sul no fim de 1991, mas o território sul-coreano segue protegido pelo guarda-chuva nuclear americano.

Após o quarto teste nuclear norte-coreano de 6 de janeiro e o disparo de um foguete de longo alcance em 7 de fevereiro, Won Yoo-Cheol, chefe do governante partido Saenuri no Parlamento, estimou que chegou a hora de mobilizar novamente estas armas ou de a Coreia do Sul se dotar de suas próprias.

“Não podemos pedir emprestado um guarda-chuva ao vizinho sempre que chove. Devemos arranjar uma capa de chuva e colocá-la nós mesmos”, declarou em um discurso ante o Parlamento, reproduzido pela agência sul-coreana Yonhap.

Seul é um dos 190 signatários do Tratado de Não Proliferação, ao qual Pyongyang deu as costas em 2003. Washington, por sua vez, não é partidário de ampliar o número de países que dispõem de armamento nuclear.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *