Últimas

Dívida por notebooks provocou assassinato de prefeito de Chiador (MG)

  • Reprodução/Facebook/Wadson Ribeiro

    O prefeito da cidade de Chiador (MG), Moisés da Silva Gumieri (PC do B), que foi assassinado

    O prefeito da cidade de Chiador (MG), Moisés da Silva Gumieri (PC do B), que foi assassinado

A Polícia Civil de Minas Gerais informou nesta terça-feira (16) ter prendido Tiago Souza Cassaro, 30, acusado de ser o mandante da morte do prefeito de Chiador, Moisés da Silva Gumieri (PC do B). Ele foi assassinado a tiros, no dia 9 deste mês, na porta de um clube da cidade mineira, localizada a 292 quilômetros de Belo Horizonte.

De acordo com a polícia, o homem foi preso na própria cidade, e a motivação seria uma dívida de R$ 17 mil pela compra de notebooks de Cassaro, feita há dois anos e que supostamente não teria sido quitada pela prefeitura local. O preço não foi corrigido para valores atuais.

Conforme o delegado Saed Divan, chefe do 4º Departamento de Polícia Civil de Juiz de Fora, o acusado havia vencido uma licitação.”O pagamento não teria sido feito, e ele contratou o suspeito de tráfico [de drogas] conhecido como “Vampirão”, em Três Rios [cidade do Estado do Rio de Janeiro], por R$ 12 mil, para cometer o crime”, explicou o policial.

“Vampirão” está foragido e tem um mandado de prisão decretado contra ele. Segundo o delegado, o foragido teria contratado dois jovens, de 18 e 19 anos, por R$ 4 mil, para executar o prefeito.

Os dois acusados de terem sido os executores foram presos no dia 10 de fevereiro, um dia depois do crime. Um terceiro suspeito de envolvimento no plano, o dono da motocicleta usada no dia do assassinato do político, chegou a ser preso, mas foi liberado em seguida. Ele alegou ter emprestado a moto para a dupla, mas teria dito não ter tido conhecimento de que ela seria usada para a prática do crime.

No entanto, conforme o delegado Felipe Fonseca Peres, outro policial que participa do caso, surgiram novas evidências dando conta de uma suposta incriminação dele.

Os responsáveis pelo caso disseram que as investigações vão continuar. O UOL não conseguiu localizar advogados de defesa do acusado de ser o mandante.

Crime

Moisés da Silva Gumieri foi morto com ao menos cinco tiros na porta de um clube da cidade onde estava acompanhando uma partida de futebol.

Ele foi chamado à portaria do estabelecimento pelos dois suspeitos, que chegaram ao local em uma motocicleta. Ao chegar, Gumieri foi atingido pelos disparos feito pelo garupa da moto. A dupla fugiu em seguida. Momentos antes do crime, a dupla teria ido até a casa do prefeito, mas não o encontrou na residência.

O prefeito, que fora eleito em 2012 pelo PT, chegou a ser levado para uma unidade de pronto atendimento na cidade de Três Rios, no Rio de Janeiro, mas já chegou morto à unidade hospitalar.

Um grande cerco policial foi montado para tentar capturar os suspeitos. A polícia informou que, na fuga, eles se acidentaram com a motocicleta em uma estrada vicinal, abandonaram o veículo e se embrenharam na mata. No dia seguinte, eles foram capturados em região que pertence a uma fazenda da localidade.

Gumieri havia sido eleito com 1.456 votos. Segundo o IBGE, o município tem aproximadamente 2.800 habitantes.  Em seu lugar, assumiu o vice Maurício Barbosa Monteiro (PR).
 

Polícia prende três suspeitos de matar prefeito de Chiador (MG)

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *