‘Dói muito’, diz homossexual agredido na porta de escola em São José

Jovem diz ter sido vítima de homofobia; vítima e agressor estudam juntos. Aluno foi agredido a pauladas por cinco adolescentes na segunda (22).

Agredido a pauladas por cinco adolescentes na saída da escola em São José dos Campos (SP), um jovem de 18 anos está traumatizado. Ele diz que foi espancado na última segunda-feira (22) por ser homossexual. O caso é investigado pela polícia.

“Meu coração estava apertado. Deram paulada da minha cabeça, fiquei tonto, caí e não lembro de mais nada. Uma coisa que você deita no seu travesseiro e acorda de madrugada com aquelas vozes na sua cabeça. É algo que dói muito”, disse o jovem, que por medo dos agressores prefere não se identificar.

Um dos suspeitos, de 16 anos, estudava na mesma sala que a vítima, em uma escola estadual na zona sul, e teria chamado os amigos para espancar o jovem. Durante as agressões, o estudante levou pauladas, chutes e pontapés principalmente no rosto. Ele precisou levar sete pontos na cabeça.

A vítima disse à polícia que vinha sendo ameaçado pelo colega desde o começo do ano letivo e acredita que o motivo é preconceito. “Ele falou que ia me pegar na hora da saída e ia me matar, e eu não dei motivos pra ele, sempre foi palavras, ofensas, que ele propagava”, contou o jovem.

A vítima já tinha conversado com a direção da escola sobre as provocações que sofria. Na última segunda, dia da agressão, ele foi transferido de sala.

A tia do jovem está indignada com o sofrimento do sobrinho. ““Um misto de revolta, indignação, isso está abalando assim psicologicamente a família toda”, disse a mulher, que também não quis se identificar.

Investigação
Os agressores foram levados para a delegacia, ouvidos e liberados. De acordo com o delegado Álvaro de Sá, como são menores de idade, vão responder por ato infracional de lesão corporal, com base no Estatuto da Criança e do Adolescente.

“Sendo adolescentes não responderão pelo crime na forma prevista pelo código penal, e sim pelo estatuto, que caberá ao juiz da Vara da Infância e da Juventude aplicar a penalidade”, disse o delegado.

Estado
A Diretoria de Ensino de São José dos Campos reforçou que a briga foi fora da escola e que o agressor foi suspenso. O jovem espancado vai ser acompanhadopor um professor mediador para retormar ao colégio. Esse profissional é capacitado para previnir conflitos.

G1

 

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *