Últimas

Especialistas da ONU alertam para uso de armas químicas na Síria

NOVA YORK – Um grupo de 24 especialistas da ONU relatou cinco “casos potenciais” de ataques químicos graves na Síria, embora não tenha conseguido identificar os culpados – de acordo com um relatório entregue nesta sexta-feira ao Conselho de Segurança das Nações Unidas.

“O processo de identificação de pessoas envolvidas na utilização de produtos químicos como armas é uma tarefa complexa”, afirmam os investigadores no documento.

Este grupo de especialistas foi formado em 2015 pelo Conselho de Segurança para identificar os responsáveis pelos ataques com substâncias químicas, especialmente gás de cloro.

O informe aponta cinco casos de ataques químicos que devem ser examinados prioritariamente. Destes, três aconteceram na província de Idlib entre abril de 2014 e março de 2015. Os outros dois “casos potenciais identificados” foram registrados nas cidades de Kafr Zita, em 11 e 18 de abril de 2014, e em Marea, em 21 de agosto de 2015.

Os quatro primeiros casos são atribuídos pelos países ocidentais a gases de cloro lançados pelas forças do governo. Já o quinto seria um ataque com gás mostarda realizado pelo grupo Estado Islâmico.

Os especialistas devem continuar seu trabalho, iniciado em novembro, e pediram o pleno apoio da comunidade internacional.

O prazo previsto para concluir a tarefa é de um ano, podendo ser prorrogado.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *