Ex-padre é detido por assassinato de Miss nos EUA em 1960

Austin (EUA), 11 fev (EFE).- Depois de mais de 50 anos do assassinato da jovem Irene Garza, uma professora e rainha da beleza da época, em McAllen (Texas), nos Estados Unidos, seu suposto assassino foi finalmente detido nesta quinta-feira no estado do Arizona, um ex-padre com mais de 80 anos.

Irene, que na época tinha 25 anos, foi asfixiada até a morte e teve seu corpo jogado em uma vala. A última notícia que se tinha da jovem foi que ela tinha ido se confessar na Igreja do Sagrado Coração de McAllen.

Na última terça-feira, policiais do condado de Maricopa, cuja capital é Phoenix, assistidos pela polícia de McAllen e pelos ‘Rangers’ (polícia florestal) do Texas, detiveram John Feit, de 83 anos, que em 1960 era o padre da igreja em questão e que durante décadas tinha sido o único suspeito do homicídio.

Após o crime, Feit foi transferido para um mosteiro situado em um pequeno povoado do estado do Missouri e, de lá, para uma comunidade para padres problemáticos no Novo México. Em seguida, Feit deixou o sacerdócio. Segundo o jornal “The New York Times”, na própria Igreja havia suspeitas sobre ele.

Foi então que decidiu se instalar no Arizona, onde se casou e teve três filhos. Lá trabalhou durante 17 anos em um banco de doação de alimentos vinculado à Igreja.

Em 2002, uma unidade dos Rangers do Texas que investiga casos sem solução se deparou com o assassinato de Irene Garza e o apresentou a um júri, mas o crime voltou a cair no esquecimento até que, em 2014, um novo procurador em McAllen se apresentou às eleições com a promessa de colocar os responsáveis pelo caso no banco dos réus.

O ex-padre está agora detido no Arizona, com fiança estipulada em US$ 750 mil, à espera de sua extradição ao Texas, onde é acusado pelo assassinato da Miss Sul Texas em 1958.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *