Últimas

Ex-Pantera Negra é solto após 43 anos de prisão sem provas materiais

Foto: AFP Photo
Foto: AFP Photo

O ex-ativista dos Panteras Negras Albert Woodfox foi solto nesta sexta-feira, após passar mais de quatro décadas preso em uma solitária, sendo o detento a passar mais tempo nessa condição nos Estados Unidos – anunciaram seus advogados.

Woodfox completou 69 anos nesta sexta.

Ele foi condenado junto com outros dois negros, Robert King e Herman Wallace, pelo assassinato em 1972 de um guarda da prisão de Angola, uma penitenciária de Louisiana.

Os três eram membros da organização Panteras Negras, um movimento radical contra a repressão e contra os abusos cometidos por policiais contra cidadãos afro-americanos.

Alfred Woodfox sempre negou o homicídio e foi condenado sem provas materiais, com o depoimento de três detentos. Após passar cerca de 30 anos na solitária, Robert King teve sua condenação cancelada.

“Apesar de estarmos muito felizes que, finalmente, Albert Woodfox tenha sido libertado, é injustificável que suas condições de detenção, década após década, tenham-se endurecido, durante um período mais longo do que o de qualquer outro preso na história dos Estados Unidos”, declarou seu advogado George Kendall.

O destino de Woodfox, King e Wallace – apelidados de “os três de Angola” – provocou a mobilização de ONGs de defesa dos direitos humanos, sobretudo, da Anistia Internacional.

Cerca de 100.000 presos americanos se encontram, atualmente, enclausurados 23 horas por dia em uma cela minúscula, privados de praticamente qualquer contato humano. O presidente Barack Obama já se pronunciou em diferentes ocasiões a favor de se limitar as medidas de isolamento nas prisões do país.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *