Últimas

IGPs tendem a desacelerar em março, avalia superintendente da FGV

A inflação medida pelos Índices Gerais de Preços (IGPs) tende a desacelerar no mês de março, afirmou no final da tarde desta sexta-feira Salomão Quadros, superintendente adjunto de Inflação da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Na segunda prévia do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) de fevereiro, a alta foi de 1,24%, ainda elevada segundo Quadros. “Em março, a inflação pode ficar bem abaixo disso, talvez pela metade (no IPC). No IPA (que representa o atacado), também haverá desaceleração”, disse.

No atacado, o principal impulso vem do milho, cujos preços dispararam em meio à perda de terreno para a soja nas lavouras brasileiras, ao mesmo tempo em que as exportações do grão cresceram com a valorização do dólar.

“O plantio não estava considerando essa possibilidade, então a oferta doméstica está reduzida, e isso pode ter efeito sobre aves e rações”, explicou o superintendente.

No varejo, a pressão vem dos reajustes em tarifas de ônibus e de mensalidades escolares, mas esse efeito tende a se dissipar ao longo das próximas semanas, apontou Quadros.

Outro aspecto que trará grande alívio ao bolso de consumidores é a desaceleração nos preços de alimentos in natura no atacado (6 49% para 1,99%). “Isso quer dizer que produtos como tomate e batata-inglesa estão caindo. No varejo, isso já está aparecendo, mas tende a se intensificar”, afirmou. O resultado final do IGP-M será divulgado no próximo dia 26.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *