Mercado brasileiro de apps deve crescer 40% em 2016 e Play Store vai ultrapassar App Store em 2017

Da Redação do site Tudocelular.com.br

Parece que os desenvolvedores de aplicativos tem bons motivos para continuarem a investir no ramo, principalmente nos paises em desenvolvimento. O Brasil é apontado pelo relatório da consultoria App Annie como um dos mercados mais promissores no que diz respeito a aplicativos nos próximos cinco anos. A pesquisa mostra que a receita do mercado mundial de aplicativos vai movimentar US$ 51 bi este ano e poderá chegar até a US$ 101 bilhões até 2020. O Brasil teria uma grande participação nesse cenário, e deve apresentar uma expansão de mais de 40% em 2016.

Ao lado do Brasil, a consultoria também coloca o México, Turquia, Indonésia e China como mercados onde o número de consumidores de smartphones mais vai crescer. Além do aumento do uso de apps em países em desenvolvimento, o crescimento mundial também será impulsionado pela melhora do faturamento dos apps pagos em mercados maduros, como por exemplo, os Estados Unidos, onde os usuários devem diminuir o número de downloads, porém gastar mais com apps que lhes forem mais úteis. Ao todo, a projeção é de que serão realizados 284 bilhões de downloads de apps até 2020.

As previsões da App Annie também afirmam que a App Store deverá se manter como a maior geradora de receitas até 2017. Vale lembrar que em 2015, de acordo com uma pesquisa, a loja da Apple conseguiu 75% a mais de renda em relação à Play Store. Porem, a App Annie diz que depois de 2017, a loja da Google deve virar a mesa, graças à popularidade de seu sistema Android em países em desenvolvimento.

Por fim, a consultoria afirma que os jogos se manterão como os grandes campeões de renda e que além dos US$ 101 bilhões derivados de vendas diretas e assinaturas, a economia mundial de apps também movimentará receitas incalculáveis através de e-commerce e publicidade.

Fonte: Tudocelular.com.br
Notícia originalmente postada pelo site Tudo Celular.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *