Últimas
chico-rey

Polícia do DF apura depredação de 3 túmulos durante enterro de Chico Rey

Fãs e familiares acompanharam enterro do músico, em Taguatinga. Cemitério diz que estruturas foram pisoteadas; 500 pessoas foram ao local.

 

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga a depredação de três túmulos durante o enterro do músico Chico Rey, que cantava com o irmão Paraná, na tarde deste domingo (28) no cemitério de Taguatinga. Fãs e amigos cantaram músicas interpretadas pela dupla e jogaram pétalas de rosas durante o cortejo. O artista morreu na sexta-feira (26) em Maceió (AL), após parada cardíaca.

Centenas de pessoas acompanharam o enterro. Alguns fãs levaram discos de Chico Rey e Paraná e tentaram conseguir autógrafos. Chovia durante a cerimônia.

Em nota, o Cemitério Campo da Esperança disse que os túmulos foram pisoteados. “Era grande o número de pessoas que acompanhava o sepultamento. Dos três túmulos, apenas um tinha revestimento em granito. Os dois que não possuíam revestimento já foram reparados, com a substituição das placas de pré-moldado. O  com revestimento em granito será reparado até o final da semana.”

Membros da equipe de Chico Rey e Paraná levam o caixão durante sepultamento de Chico no cemitério de Taguatinga, no DF (Foto: Alexandre Bastos/G1)Membros da equipe de Chico Rey e Paraná levam o caixão durante sepultamento de Chico no cemitério de Taguatinga, no DF (Foto: Alexandre Bastos/G1)

O caixão de Chico Rey foi levado por membros da equipe da dupla. O cantor Paraná acompanhou de perto. Os familiares do músico deixaram o local assim que o corpo foi sepultado. Eles não conversaram com a imprensa após o enterro.

O autônomo Fernando Pereira de Carvalho, de 57 anos, diz que esperava um autógrafo de Paraná depois do cortejo. “Eu tenho os CDs deles todos. Trouxe os LPs ‘Não consigo viver de recordações’, ‘Outros caminhos sem você’. São uns dos meus favoritos.”

O autônomo Fernando Pereira de Carvalho foi ao enterro de Chico Rey com LPs do músico em dupla com o irmão Paraná (Foto: Alexandre Bastos/G1)O autônomo Fernando Pereira de Carvalho foi ao enterro de Chico Rey com LPs do músico em dupla com o irmão Paraná (Foto: Alexandre Bastos/G1)

O comerciante Geraldo Inácio da Silva, 65 anos, morador do Núcleo Bandeirante, diz que preferiu chegar perto do caixão na hora do sepultamento. Ele ficou a 2 metros do caixão. “Ver um ídolo morrer é dose.”

Segundo a Polícia Militar, cerca de 500 pessoas estiveram no velório, que aconteceu no centro cultural Taguaparque. Os familiares chegaram ao local nas primeiras horas da manhã. O velório foi aberto ao público por volta das 10h. Na saída, os fãs cantaram a música “Canarinho prisioneiro.”

O músico Paraná (de preto) ao lado de familiares e amigos, durante sepultamento do irmão e parceiro, Chico Rey  (Foto: Alexandre Bastos/G1)O músico Paraná (de preto) ao lado de familiares e amigos, durante sepultamento do irmão e parceiro, Chico Rey (Foto: Alexandre Bastos/G1)

A filha mais velha de Chico, Camila Bontempo, de 28 anos, afirmou que o pai cumpriu o papel dele mesmo com os compromissos da carreira na estrada.

“Ele viajava muito, mas nunca deixou de ficar presente nos maiores momentos da minha vida. A lembrança que eu tenho dele hoje é que era amor, amor em pessoa, amava muito a gente. Nem um dia da nossa vida ele deixou de falar que amava muito.”

Membros da equipe de Chico Rey e Paraná levam o caixão durante sepultamento de Chico no cemitério de Taguatinga, no DF (Foto: Alexandre Bastos/G1)Membros da equipe de Chico Rey e Paraná levam o caixão durante sepultamento de Chico no cemitério de Taguatinga, no DF (Foto: Alexandre Bastos/G1)

Empresário da dupla há 22 anos, Toninho Lopes disse que a morte de Chico foi inesperada porque ele estava bem, “de férias, viajando, curtindo”, e que já havia superado diversos problemas de saúde. “Vai fazer uma falta muito grande para o Brasil. Vão ficar as lembranças boas, das piadinhas do Chico. As boas lembranças com certeza eu vou guardar.”

O companheiro de palco e irmão Paraná falou de Chico como profissional e como membro da família, da pessoa alegre e do “grande parceiro” que era. “Fica para mim uma saudade muito grande.”

Paraná lembrou da luta do irmão após o diagnóstico do problema renal, da postura dele no palco e no estúdio e do bom momento que vivia. “Inclusve ele resolveu passear, Fazia seis anos que ele não passeava com as filhas”, disse.

A filha mais velha de Chico Rey, Camila Bontempo, durante velório do pai no Taguaparque, no DF (Foto: Isabella Calzolari/Globonews)A filha mais velha de Chico Rey, Camila Bontempo, durante velório do pai no Taguaparque, no DF (Foto: Isabella Calzolari/Globonews)

O músico classificou irmão como uma pessoa honesta, que nunca chegou atrasado a compromissos, um bom pai e um bom cantor. “O legado é desse cuidado, que a gente teve. Nós não somos artista de mídia, nós somos artistas de história e de trajetória, onde a gente sempre deu uma atenção pelo repertório, pensando sempre no futuro, em uma carreira mais prolongada.”

Francisco Aparecido Gomes, o Chico Rey, tinha 63 anos e estava de férias na capital alagoana. Paciente renal crônico há sete anos, ele se submeteu a sessões de hemodiálise e há alguns dias teve um sangramento em uma fístula criada para possibilitar o procedimento.

O cantor Paraná, durante o velório do irmão e companheiro de dupla, Chico Rey (Foto: TV Globo/Reprodução)O cantor Paraná, durante o velório do irmão e companheiro de dupla, Chico Rey (Foto: TV Globo/Reprodução)

A hemorragia aumentou nesta sexta, por isso o músico foi levado para o hospital, onde teve sucessivas paradas cardiorrespiratórias e não resistiu. Chico chegou a se submeter a um transplante renal em 2010, mas houve rejeição.

“É uma dor muito grande, a perda do irmão, do parceiro, do companheiro desde criança. Difícil a gente se imaginar cantando com outra pessoa. Ele lutou muito, foi muito forte, pegou infecção hospitalar, teve dificuldades, mas foi muito forte”, disse Paraná ao G1.

Cantor Daniel lamentou no Instagram morte do colega sertanejo (Foto: Reprodução/Instagram)Cantor Daniel lamentou no Instagram morte do colega sertanejo (Foto: Reprodução/Instagram)

Após a morte do músico, a irmã Iara Gomes o descreveu como um irmão querido, um amigo dedicado e um cantor admirado. Ela disse que a família estava em choque. “Estou sem chão. Acho que só no velório vou acreditar que perdi o meu irmão querido, que considerava como um pai.”

O cantor Daniel publicou em redes sociais que Chico Rey era “bom caráter e boa gente”. “Tivemos mais uma perda irreparável para nossa música sertaneja, para a bandeira que levantamos”, disse.

Do interior para a capital
Chico Rey e Paraná começaram a cantar juntos quando tinham 8 e 6 anos, respectivamente, por influência do pai violonista. Nascidos em Arapongas e criados em Ivaiporã, ambas cidades paranaenses, eles fizeram suas primeiras apresentações em rádios locais.

Chico Rey e Paraná  (Foto: reprodução/site oficial )Chico Rey e Paraná (Foto: Reprodução/site oficial )

“A gente trabalhava na roça, no interior do Paraná. Plantamos arroz e algodão para poder vender para comprar instrumento, isso com 12 anos, 14 anos”, diz Paraná. A carreira profissional teve início em 1977, já em Brasília, após a dupla concluir o seviço militar.

Chico veio primeiro para o DF, em 1975. Ele morava em Vicente Pires. O irmão chegou no ano seguinte. Na capital, eles participaram também de programas de rádio. Um deles foi “No balanço da viola”, da rádio Alvorada. O primeiro LP foi lançado em 1981 por uma gravadora pequena.

O primeiro grande sucesso nacional foi a música “Quem será seu outro amor”, lançado em 1987. O LP rendeu o primeiro disco de ouro da trajetória da dupla. Outros composições de destaque são “Tranque a porta e me beija”, “Encanto e magia”, “Tá com raiva de mim”, “Você não sabe amar”, “Um degrau na escada”, “De lá pra cá”, “Em algum lugar do passado”, “Operário, vida, viola”, “Alma transparente”, “Canarinho prisioneiro”, “Leão domado” e “Amor rebelde”.

Novo CD
O cantor Paraná anunciou nesta sexta que o novo trabalho da dupla chega às lojas nas próximas semanas. O novo trabalho se chama “Minha inspiração”. Uma das faixas é a música “Amo até os seus defeitos”, que já está tocando em rádios e na internet.

Paraná afirmou que o futuro da carreira dele ainda não está definido. A dupla tinha alguns shows agendados, os dois próximos em Angatuba (SP), em 12 de março, e Goiânia (GO), no dia 19, com a dupla Matogrosso e Mathias.

“Eu não tenho a liberdade para ver o que vou fazer. Temos alguns contratos agendados. Vai depender dos contratantes. Ainda não sei como vamos fazer. Fiz uns 40 shows sozinho na época em que ele [Chico] ficou internado. Tenho um irmão mais novo que vai comigo, que também canta. Vai depender deles [contratantes]”, disse.

“A gente vê que a vida da gente é passageira. Eu estava ouvindo na rádio agora, as rádios tocando nossas músicas. Fico imaginando como a matéria da gente é muito fraca. Mas fica a obra, você é lembrado pela sua obra. Ele morreu hoje, mas a voz dele estava ali no rádio.”

A produção da dupla emitiu uma nota em nome dos familiares, explicando os motivos da morte e agradecendo aos fãs.

“A família de Chico Rey agradece os sentimentos e orações emanados por toda comunidade sertaneja. Chico Rey & Paraná estará sempre nos grandes momentos daqueles que amam e apreciam suas canções. E a todos aqueles que já viveram a grandeza de ouvir essa segunda voz que abrilhantava o Brasil, o luto, a gratidão e a eterna lembrança. Eternamente Chico Rey!”

1700 Site oficial da dupla Chico Rey & Paraná exibia uma mensagem de luto com a foto do sertanejo (Foto: Reprodução)Site oficial da dupla Chico Rey & Paraná exibia uma mensagem de luto com a foto do sertanejo
(Foto: Reprodução)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *