Últimas

Titular em 2015, G. Jesus perde espaço no Palmeiras. Novo esquema contribui

Principal promessa do Palmeiras nos últimos tempos, Gabriel Jesus foi titular absoluto do time de Marcelo Oliveira em 2015. O mesmo não acontece na nova temporada. Eleito jogador revelação do último Brasileiro, o agora camisa 12 alviverde não está com a mesma moral com o técnico. Dos seis jogos no ano, foi titular só nos três primeiros, e foi substituído em todos.

No jogo de estreia de 2016, na vitória de 2 a 0 sobre o Botafogo-SP, Gabriel Jesus jogou 75 minutos. Depois disso, seu tempo de participação nas partidas só diminuiu: 66 minutos no empate com o São Bento, no Pacaembu, e 58 minutos no 0 a 0 diante do Oeste, fora de casa. Nos três jogos deu lugar ao recém-contratado Erik.

Já na derrota de 2 a 1 para o Linense, no Allianz Parque, Gabriel Jesus sequer foi aproveitado e terminou a partida no banco de reservas. No jogo seguinte, no empate de 2 a 2 com o River Plate-URU, pela Libertadores, voltou a ser aproveitado. Mas durante o jogo. Em substituição ‘invertida’, foi a vez de ele entrar no lugar de Erik, no intervalo, e marcar o segundo gol.

Neste sábado, mais do mesmo. Gabriel Jesus entrou apenas no segundo tempo, na vaga de Matheus Sales. Atuou por 30 minutos. Após o apito final, o camisa 12 falou sobre a situação, mas garantiu não ficar incomodado com a opção do técnico Marcelo Oliveira.

“Não me incomoda. Vou continuar trabalhando para agarrar minha oportunidade”, disse o atacante, que ainda não jogou uma partida completa em 2016.

Um dos fatores que podem explicar a perda de espaço de Gabriel Jesus no Palmeiras está no novo esquema de formação testado por Marcelo Oliveira. Enquanto em 2015 o 4-3-3 predominava, com Gabriel Jesus de um lado do ataque e Dudu do outro, na nova temporada o treinador vem usando o 4-3-2-1, como aconteceu neste sábado, diante do Santos.

No novo esquema, Alecsandro joga isolado. Atrás dele, Robinho e Dudu aparecem para fazer a criação, enquanto três volantes trabalham mais por trás. A nova tática agrada Marcelo Oliveira, que vê a equipe evoluindo com o passar dos jogos, apesar da falta de resultados.

“Gostei. Acho que Robinho e Dudu ficam mais soltos. E, no outro sistema, não estávamos nem atacando e ainda dávamos muito espaço para nos atacarem. O espaço que tiveram no segundo tempo foram muito mais erros nossos, apesar da qualidade do adversário”, analisou.

O Palmeiras volta a campo na próxima quinta-feira para encarar o XV de Piracicaba, fora de casa, às 21h30, pela sexta rodada do Campeonato Paulista.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *