UnB implementa sistema que agiliza tramitação de documentos e processos

A primeira instituição acadêmica de ensino superior a adotar o SEI foi a Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foto: Agência Brasil/Arquivo
A primeira instituição acadêmica de ensino superior a adotar o SEI foi a Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foto: Agência Brasil/Arquivo

A Universidade de Brasília (UnB) é a segunda instituição federal de ensino superior a aderir ao Processo Eletrônico Nacional (PEN) e, a partir de 16 de maio, começa a usar o Sistema Eletrônico de Informações (SEI), para agilizar a tramitação eletrônica de documentos e processos da instituição. De acordo com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, a implementação do SEI vai reduzir os gastos da universidade com papel, impressão, material de escritório, transporte e serviços de postagens.

Para o reitor da UnB, Ivan Camargo, a implantação do sistema é sinal de uma revolução em todos os processos da Universidade de Brasília. Segundo ele, o SEI vai permitir reorganizar a estrutura burocrática da universidade. A primeira instituição acadêmica de ensino superior a adotar o SEI foi a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Com o sistema, um professor ou um servidor de campi mais afastados, como Planaltina ou o Gama pode, com apenas um clique, enviar um documento para a reitoria, agilizando e tornando mais eficiente o trabalho de toda a comunidade acadêmica.

Redução de gastos

Com o objetivo de eliminar o uso de papel na administração pública, o Decreto nº 8539 estabeleceu o uso de meio eletrônico para tramitação de documentos nos órgãos e entidades da Administração Pública Federal. Pelo documento, publicado em outubro, os órgãos tem até abril deste ano para apresentar ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão um cronograma de implementação.

Dentre os 224 órgãos que compõem o Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação (SISP), 139 órgãos estão no processo de adesão do SEI: 54 em fase de implantação e 21 já utilizam o sistema.

O governo federal tem adotado medidas para agilizar e reduzir cada vez mais a utilização de papéis na administração pública. Em dezembro, a Receita Federal anunciou que mais de 90 toneladas de documentos serão eliminadas anualmente nas operações de exportação e importação no Brasil, depois que todos os órgãos envolvidos no comércio exterior aderiram à ferramenta de Anexação Eletrônica disponibilizada pelo Portal Único de Comércio Exterior.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *