Vídeo traz versão do dono sobre cães achados mortos em av. de Maceió

Autor do vídeo diz que animais morreram de fome, por falta de ajuda. Eles teriam sido pendurados em árvores como forma de protesto

 

 

Uma página na rede social publicou um vídeo, na última terça-feira (16), com uma explicação a respeito do caso dos dois cachorros encontrados mortos, pendurados pelo pescoço, em árvores no canteiro central da Avenida Durval de Góes Monteiro, em Maceió, no último domingo (14).

Segundo o autor do material, os animais morreram de fome e foram pendurados como forma de chamar atenção para o caso.

Confira o vídeo clicando neste link.

O texto que acompanha a publicação diz que “segundo seu Gilberto [o dono dos cães], os cachorros não foram assassinados, morreram de forma natural, e como protesto ele terminou pendurando os cães, para chamar a ‘atenção’ de quem transita pela avenida, tentando evitar que os outros também não morram de fome”.

No vídeo, o responsável pela publicação ainda apela para que as pessoas “ao invés de julgar, [ajudem a] cuidar desses cachorros”, doando ração.

O caso da morte desses animais chegou à presidente da Comissão do Bem Estar da Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB-AL), Rosana Jambo.

“Esse é um dos relatos passado pelas testemunhas. Outros dão conta de que os animais foram atropelados, e depois pendurados, também em forma de protesto, e que o Gilberto teria problemas psicológicos, e que durante os surtos que têm, se torna violento, inclusive com os animais”, explica Rosana.

Ainda segundo ela, só vai ser possível atribuir autoria no caso após a identificação da causa das mortes dos animais. “Eles foram encontrados já em decomposição, o que mostra que não foram mortos naquele mesmo dia”.

A OAB já preparou uma denúncia, que será entregue à Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente ainda esta semana, para que as investigações do caso possam ter início.

 

G1

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *