Últimas

Alagoas reduz homicídios em 3,8%, mas ainda lidera ranking de violência

Estado lidera vitimização de negros; dados estão no Atlas da Violência 2016, publicado hoje

 

 

A taxa de homicídios em Alagoas reduziu 3,8% em 2014 na comparação com 2013. Apesar da redução, Alagoas ainda lidera o ranking entre os estados com maior número de homicídios, com 63 a cada 100 mil habitantes. 

 

Os dados constam no "Atlas da Violência 2016", publicado nesta terça-feira (22), pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). 

 

Em 2014, em relação aos crimes ligados a negros, o estado liderava o ranking com uma taxa de 82,5 mortes por 100 mil habitantes.  

 

As análises consideram, principalmente, os dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, que traz informações sobre incidentes. Segundo os dados, apenas em 2014, foram registrados 59.627 homicídios em todo o Brasil. O número de mortes tem evoluído de maneira desigual nas regiões do país, atingindo crescentemente os moradores de cidades menores no interior e no Nordeste, sendo as principais vítimas jovens e negros.

 

De acordo com a publicação, este número equivale a uma taxa de homicídios por 100 mil habitantes de 29,1. Este é o maior número de homicídios já registrado e consolida uma mudança no nível desse indicador, que se distancia do patamar de 48 mil a 50 mil homicídios, ocorridos entre 2004 e 2007, e dos 50 a 53 mil mortes, registradas entre 2008 a 2011.

 

Brasil registrou uma taxa de homicídios por 100 mil habitantes de 29,1

FOTO: REPRODUÇÃO

 

Em relação ao número a taxa de homicídios de jovens na faixa etária entre 15 e 29 anos, Alagoas contabilizou uma redução de 5,4%, em 2014, em comparação ao ano de 2013. Foram 140,6 mortes a cada 100 mil habitantes. Segundo os dados da publicação, no Brasil, se considerarmos as taxas de homicídios de homens jovens, os indicadores praticamente dobram, uma vez que os homens representavam 93,8% do total dos homicídios nessa faixa etária. Deste modo, alcançou-se o patamar de 113,2 no Brasil, enquanto em Alagoas, em 2014, houve incríveis 270,3 mortes para cada grupo de 100 mil homens jovens, entre 15 e 29 anos.

 

Mulheres

 

No Brasil, de acordo com os dados do Atlas da Violência de 2016, 13 mulheres são assassinadas por dia. No período de 2004 a 2014, 18 estados apresentaram taxa de mortalidade por homicídio de mulheres acima da média nacional (4,6), sendo eles: Amapá (4,8), Bahia (4,8), Pernambuco (4,9), Paraná (5,1), Rio de Janeiro (5,3), Acre (5,4), Paraíba (5,7), Rio Grande do Norte (6,0), Pará (6,1), Ceará (6,3), Mato Grosso do Sul (6,4), Rondônia (6,4), Sergipe (6,5), Mato Grosso (7,0), Espírito Santo (7,1), Alagoas (7,3), Goiás (8,8) e Roraima (9,5).

 

Apesar da redução de 12%, em 2014, em comparação ao ano de 2013, o estado alagoano registrou 125 mortes de mulheres.

 

Por essa análise, os três estados com maior letalidade contra as mulheres foram Roraima (9,5), Goiás (8,8) e Alagoas (7,3)

FOTO: REPRODUÇÃO

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *