Últimas

Anunciantes têm um novo plano para vencer os ad-blockers na internet

A Interactive Advertising Bureau, organização sem fins lucrativos que busca incentivar a criação de normas e padrões utilizadas no mercado publicitário, está trabalhando em um método para fazer com que os internautas sejam convencidos a desabilitarem seus softwares de bloqueio de publicidade online. Conhecido pela sigla DEAL, o projeto busca conscientizar e educar internautas sobre programas como Adblock Plus.

A iniciativa surge após a última atualização do sistema operacional da Apple para dispositivos móveis, o iOS 9, permitir que usuários de iPhones e iPads possam instalar bloqueadores de propagandas para navegar em sites limpos de conteúdo publicitário.

A ideia funciona em quatro etapas e a primeira delas consiste em identificar os visitantes que utilizam esse tipo de programa para tentar estabelecer um diálogo. O passo seguinte é explicar os valores que aquela propaganda podem agregar ao visitante, e como o anúncio permite que o site que ela está visitando se mantenha no ar.

Depois disso, a terceira etapa é pedir a autorização do usuário para permitir a propaganda. Por fim, o último ato é conceder autorizações ou limites ao site de acordo com a preferência do usuário. Se ele não quiser ver a propaganda exibida, terá liberdade para isso, mas o site também pode restringir o conteúdo ao qual a pessoa terá acesso com um ad-blocker instalado.

No entanto, outro ponto importante a ser analisado é que banners também são uma das principais causas da disseminação de malware pela web. A ideia pode ser usada também para a distribuição de softwares maliciosos que podem prejudicar o internauta. 

Vale lembrar que o crescimento da internet nas últimas décadas fez com que muitas empresas enxergassem nos espaços virtuais outdoors para a divulgação de seus serviços e produtos. Só em 2014, o setor movimentou R$ 8,3 bilhões no Brasil.

Via Motherboard 

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *