Após tradução para português, "Punch Club" vê pirataria disparar no Brasil

Um dos desejos mais frequentes dos jogadores brasileiros é a localização dos games lançados por aqui, ou seja, que eles contem com ao menos menus e legendas em português. A prática é cada vez mais comum e, hoje, é bastante raro que um jogo chegue ao país sem que ao menos sua parte textual esteja em nosso idioma.

Expandir a abrangência e gerar interesse sobre o game foi a ideia dos produtores da Tiny Build, empresa por trás de “Punch Club”, um game para celulares e PC no qual o jogador gerencia a carreira de um lutador. Para tal, eles começaram a traduzir o game para diversas línguas.

O resultado disso, porém, não foi um aumento considerável nas vendas, mas, sim, na pirataria: de 1 milhão de usuários, apenas 300 mil jogadores compraram o jogo. E a situação ficou pior após o game ser traduzido para o português, quando o número de cópias ilegais deu um salto considerável em especial no Brasil.

Após ser lançado em português, “Punch Club” viu os números de pirataria dispararem no Brasil; para cada cópia vendida, mais de 31 foram instaladas ilegalmente no primeiro dia de localização

Por aqui, a cada unidade de “Punch Club” comprada no primeiro dia após a versão traduzida ser lançada, mais de 31 cópias ativas foram pirateadas. Ao todo, 11.627 cópias ilegais do game foram ativadas no país no primeiro dia após o nosso idioma passar a ficar disponível, contra 373 adquiridas por vias legais. 

A constatação da produtora é que os brasileiros “gostam de piratear games localizados”. A situação é diferente da vista na China, por exemplo, onde a pirataria atua independentemente do idioma do game.

A realidade também distinta de outros países, como França e Alemanha, com o jogo alcançando uma boa média de compradores em relação aos que obtiveram o game por meio da pirataria. O comunicado da produtora termina dizendo que vale muito a pena traduzir jogos para países da Europa Ocidental: “Localizar jogos para esses países compensa por ter um índice de pirataria muito baixo”.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *