Últimas

Argentina estuda pedir a Obama que abra arquivos sobre ditadura

Buenos Aires, 12 mar (EFE).- O governo da Argentina analisa pedir ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que abra os arquivos americanos secretos vinculados à última ditadura argentina (1976-1983) durante a visita ao país, afirmou neste sábado o secretário de Direitos Humanos argentino, Claudio Avruj.

Obama chegará a Buenos Aires no dia 22 de março e iniciará sua visita oficial no dia seguinte, na véspera do 40º aniversário do golpe militar liderado pelo tenente-general Jorge Rafael Videla.

“Acredito que este seja um dos temas a serem discutidos”, disse Avruj ao jornal “La Nación” ao ser perguntado sobre o pedido feito pela ativista Estela de Carlotto, representante da organização Avós da Praça de Maio.

De acordo com Avruj, “Estela de Carlotto propôs essa necessidade (de abrir os arquivos) e a transmitiu ao presidente argentino Mauricio Macri”.

“(Macri) concordou e estamos totalmente convencidos de que tudo o que forneça informação para completar os dados do que aconteceu nessa época tão difícil ajuda a todos”, detalhou.

Durante a reunião, Avruj se mostrou a favor que o presidente americano visite o antigo centro de detenção clandestino da Escola Superior de Mecânica da Armada, hoje transformado em um centro emblemático para a preservação da memória e da defesa dos direitos humanos.

“Muitas vezes os gestos dizem muito mais que as palavras. O mero fato de o presidente Obama parar em frente ao Lugar da Memória e prestar um minuto de silêncio diz claramente: ‘Nunca mais ao terrorismo, nunca mais ao desaparecimento de pessoas à força'”, afirmou o secretário de Direitos Humanos.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *