Últimas

Atleta do ASA critica supostos insultos de Feijó à arbitragem

Vice-presidente da CBF, Gustavo Feijó foi alvo de críticas após o confronto entre Santa Rita e ASA pelo Campeonato Alagoano. Segundo o relato do lateral-direito Chiquinho Alagoano, da equipe arapiraquense, o dirigente ofendeu e tentou intimidar por diversas vezes o trio de arbitragem que acompanhou a partida, principalmente um dos assistentes.

Revoltado, o jogador Alvinegro diz que ouviu os insultos em situações da partida que terminou com a derrota do Fantasma por 2 a 1, no jogo que foi situado na cidade de Boca da Mata, onde Feijó é prefeito.

– Nós vimos aí, o presidente da Federação do Nordeste dando palpite pro bandeirinha. Isso não existe. A gente vê o presidente do Nordeste xingando o bandeirinha o tempo todo. Que exemplo ele está dando para a nossa arbitragem? Essa coisa feia que foi aí. Não querendo fugir da nossa responsabilidade, erramos muito, mas foi coisa feia. O presidente da Federação do Nordeste mandando o bandeirinha tomar naquele canto o tempo todo. O Gustavo Feijó o tempo todo xingando o bandeirinha. Quando eu ia cobrar escanteios, ele o tempo todo dando pressão na arbitragem. Coisa horrível – esbravejou Chiquinho Alagoano em entrevista ao repórter JânioBarbosa da Rádio Novo Nordeste. 

Histórico

O dirigente da CBF é um dos patronos do Santa Rita e é constantemente visto nas dependências do Estádio Olival Elias de Morais para acompanhar as partidas do Campeonato Alagoano. Na quinta rodada do estadual, no confronto do Leão da Mata diante do CSA, o árbitro Júlio César Farias relatou entre as ocorrências e observações da partida na súmula, a presença de Feijó dentro de campo antes e após o primeiro tempo do confronto.

Técnico do ASA, Vica também comentou sobre a suposta pressão que o dirigente fez aos árbitros que comandaram a partida entre Santa Rita e ASA. Chateador com a arbitragem, o treinador preferiu não julgar pois não viu o lance, mas destacou os erros e causos negativos do Campeonato Alagoano.

– Vocês (imprensa) viram, eu não vi. Então não posso falar o que eu não vejo. Não vi isso e vocês da imprensa que tem a obrigação de divulgar, criticar e elogiar, entendeu!? Mas a gente tem que reclamar, coisa errada temos que falar. Mas as coisas erradas aqui, para o futebol daqui, parece que é tudo certo, mas não vejo ninguém criticando. Então você vai continuar vendo isso no campeonato. De repente o próprio clube que está sendo beneficiado hoje, amanhã vai ser prejudicado. Isso não vai acabar agora porque eles não têm personalidade para apitar jogo de futebol – declarou.

Apesar das acusações do jogador alvinegro, o árbitro José Ailton da Silva não relatou nenhum incidente relacionado ao fato na súmula da partida. O único apontamento no documento trata sobre a concessão de um minuto de silêncio antes da partida.

Em entrevista à Radio Gazeta, Gustavo Feijó justificou as reclamações do lateral alvinegro, afirmando que estava no estádio na condição de torcedor.

– Eu sou prefeito da cidade, como vocês sabem o futebol do interior é feito com ajuda dos prefeitos e dos colaboradores que fazem o futebol. Eu estava na arquibancada, como torcedor que posso ser e ali como prefeito eu não posso torcer jamais contra o time da minha cidade. Na qualidade de prefeito, assumo, reclamei porque quase que o trio não marca a penalidade, ficaram em dúvida. O que reclamamos foi como prefeito e torcedor, o lance está aí na televisão pra todo mundo vê. Eu fico muto tranquilo, porque foi pênalti, eu não estava ali como representante da Federação, nem da CBF, e se o árbitro for colocar tudo o que os torcedores falam, a súmula não vai caber – afirmou.

Sobre a condição de ter entrando em campo durante a quinta rodada, na derrota para o CSA, o vice-presidente da CBF admitiu.

– Primeiro eu fui motivar a minha equipe. Cheguei pelo portão, já estava um movimento muito grande para eu colocar o meu carro lá, eu não sabia que o jogo já havia começado e fui avisar aos meus jogadores que se eles ganhassem do CSA teriam um bicho, algo normal.

Ele também questionou uma irregularidade no gol do atacante Luís Soares, do CSA.

– No lance do gol do Luis Soares [atacante do CSA], o jogador dominou a bola com o braço. Agora o nome do Gustavo Feijó pesa. Mas porque eu fui presidente da Federação Alagoana de Futebol e vice-presidente da CBF, a arbitragem não pode errar. Não dá para aceitar isso, eu quero que a arbitragem chegue a excelência – concluiu. 

Por: 7 Segundos 

 

 

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *