Últimas

Avião cargueiro faz pouso de emergência no aeroporto do DF

Piloto comunicou problemas técnicos antes de aterrissagem, diz FAB. Voo partiu de Caracas com destino a Brasília; ninguém ficou ferido.

 

Um avião cargueiro da companhia aérea venezuelana Solar teve de fazer um pouso de emergência no Aeroporto de Brasília na manhã desta segunda-feira (7). De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), o piloto comunicou à torre de controle “problemas técnicos” e pediu autorização para pousar, por volta das 11h45. A FAB não informou que tipo de problema afetou o avião.

Uma imagem obtida pelo G1 mostra que os flaps (equipamento na asa que serve para aumentar o atrito com o vento, causando a desaceleração do avião) não estavam abertos pouco antes do pouso. Inicialmente, o órgão havia informado que havia sete tripulantes a bordo, mas depois disse que o número não estava confirmado. Ninguém ficou ferido.

O voo vinha de Caracas, capital da Venezuela, e tinha como destino final Brasília. Após o pouso, a aeronave teve de ficar parada na pista para passar por avaliação.

De acordo com a Inframerica, consórcio que administra o aeroporto, os bombeiros do terminal ficaram de prontidão no momento da aterrisagem. Não houve atrasos em pousos e decolagens por conta do incidente. Procurada, a companhia Solar não se manifestou até a publicação desta reportagem.

Fim de decolagens simultâneas
Nesta quarta-feira (2), a FAB proibiu decolagens simultâneas no Aeroporto JK. Áudio da conversa entre um piloto da Gol e a torre de comando aponta que um erro de digitação quase provocou a colisão entre dois aviões naquele dia. Foi o segunda vez em nove dias que, por interferência do controlador de voo, um acidente do tipo foi evitado.

O áudio foi obtido pelo repórter da TV Globo Fabiano Andrade. A Gol informou que preza pelos mais altos padrões de segurança e que está em contato com as autoridades aeronáuticas para esclarecer o que aconteceu.
saiba mais

O piloto que fala na gravação estava no comando do voo comercial da Gol GLO 1402, para Palmas. O incidente foi por volta das 10h. A outra aeronave era da empresa Avianca, que fazia o voo ONE 6291, com destino a Goiânia.

Minutos após a decolagem, o piloto da Gol – que deveria seguir reto – fez uma curva à direita e invadiu a rota do voo da Avianca. No diálogo, a controladora de voo pergunta ao piloto da Gol o motivo da manobra.

Controladora: 1402, qual foi o motivo da curva à direita após a decolagem?

Piloto: Er… Vou dar uma conferida aqui, só um instantinho, para ver se está tendo alguma diferença entre a carta e o software.

Piloto: 1402. Foi um erro de digitação aqui. Queria desculpar.

A carta de saída padrão (documento que determina as instruções de rota) mostra que o avião da Gol deveria virar para a esquerda só quando chegasse ao ponto identificado como “kotvu”, a 18,5 quilômetros de distância.

Após o incidente, a Força Aérea Brasileira (FAB) decidiu suspender as decolagens simultâneas no Aeroporto Internacional JK por tempo indeterminado. Segundo a Aeronáutica, a suspensão não vai prejudicar a operação dos voos no terminal. A medida tem validade até que a FAB conclua as investigações. Brasília é o aeroporto com maior capacidade de pista do país, com até 60 voos por hora.

 

G1

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *