Últimas

Brasil começa bem, mas vacila na defesa e empata com o Uruguai

São Lourenço da Mata (PE), 25 mar (EFE).- Com uma grande atuação do meio-campo para frente, principalmente no primeiro tempo, mas falhas importantes na defesa, a seleção brasileira empatou com o Uruguai em 2 a 2 nesta sexta-feira na Arena Pernambuco, em jogo válido pela quinta rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

O empate em casa, na cidade de São Lourenço da Mata, na Grande Recife, pode ser explicado na palavra da moda no futebol: “equilíbrio”. O setor ofensivo foi bem e marcou dois gols na etapa inicial, com Douglas Costa e Renato Augusto, mas a retaguarda de uma forma geral e em particular David Luiz falharam duas vezes, permitindo que Cavani e Luis Suárez deixassem tudo igual.

Num jogo que pareceu fácil no começo, a equipe pentacampeã mundial somou apenas um ponto e foi a oito, na terceira posição da classificatória por superar Paraguai e Argentina no saldo de gols. O Uruguai é vice-líder, com dez, a três do líder Equador.

As duas equipes voltarão a campo na próxima terça-feira. O Brasil terá a dura missão de ir a Assunção encarar os paraguaios, enquanto a ‘Celeste’ enfrentará o Peru em Montevidéu.

A seleção brasileira teve apenas um desfalque entre os considerados titulares, o meia Elias, que se recupera de uma lesão no músculo reto do abdômen. Quem ficou com a vaga foi Fernandinho. A outra modificação em relação à última partida da equipe, a vitória sobre o Peru por 3 a 0 em novembro, foi o retorno de David Luiz, que cumpriu suspensão.

Pelo Uruguai, o jogo marcou o retorno de Suárez a jogos oficiais da seleção uruguaia após quase dois anos. Ele estava fora desde a vitória sobre a Itália pela fase de grupos da Copa de 2014, em que mordeu o zagueiro adversário Giorgio Chiellini. Com isso, recebeu suspensão e foi desfalque durante a Copa América e as quatro primeiras partidas pelas Eliminatórias.

Por outro lado, Óscar Tabárez não pôde contar com o lateral-direito Maxi Pereira, suspenso, nem com a dupla de ataque titular, formada por Diego Godín e José Giménez. Sebastián Coates e Mauricio Victorino, ex-jogador de Cruzeiro e Palmeiras, foram os substitutos.

Além deles, no meio também, entraram Matías Vecino e Cristian Rodríguez, ex-Grêmio, nas vagas de Matias Corujo e Nicolás Lodeiro, que tem passagem por Botafogo e Corinthians.

O torcedor pernambucano que demorou a se sentar perdeu o primeiro gol do Brasil, marcado logo aos 40 segundo de partida. Willian encarou a marcação de Álvaro Pereira, driblou e tocou para o meio da área. Douglas Costa se esticou e tocou para a rede com a ponta do pé esquerdo para fazer 1 a 0.

Ao menos no começo, a seleção pentacampeã mundial sobrava, e o segundo poderia ter acontecido aos oito minutos. Daniel Alves cruzou da direita, Neymar cortou a marcação com um toque de cabeça e acertou a rede, mas pelo lado de fora.

A ‘Celeste’ incomodou pela primeira vez aos 11 minutos, em cobrança de falta pela esquerda. ‘Cebolla’ Rodríguez levantou e Suárez apareceu livre nas costas da zaga na segunda trave, mas não conseguiu concluir.

Sem um centroavante, os homens de frente do Brasil se movimentavam bastante e confundiam os defensores uruguaios. Aos 20 minutos, Douglas Costa desceu pelo meio, deixou dois para trás e abriu na esquerda para Neymar, que chutou cruzado. O goleiro Muslera pegou firme.

A bola ia de pé em pé na linha de frente brasileira, a zaga ‘celeste’ estava perdida, e o segundo gol saiu aos 26 minutos. Neymar dominou no meio e descolou ótima enfiada para a infiltração de Renato Augusto. Coates até corta, mas o melhor jogador do último Brasileirão ficou com a sobra, deu uma finta desconcertante em Muslera e ampliou com um chute forte.

Se o setor ofensivo fazia grande atuação, a defesa cometia erros e foi castigada aos 31. Álvaro Pereira driblou Willian e fez o chuveirinho. David Luiz marcou a bola e não percebeu que Cavani apareceu livre na área para aproveitar passe de cabeça de Sánchez e emendar de primeira para diminuir.

A partir de então, passaram a surgir chances de gol para os dois lados. Na melhor que os donos da casa tiveram a partir de então até o intervalo veio aos 37, quando Douglas Costa recebeu de Neymar e arrematou muito perto da trave direita.

A ‘Celeste’ respondeu quatro minutos depois, com Sánchez. O volante teve liberdade pela esquerda e ficou de frente com Alisson, que fechou o espaço e cedeu o escanteio.

A ida para o vestiário não serviu para que Dunga corrigisse os problemas da zaga, e o Uruguai empatou logo aos dois minutos do segundo tempo. Suárez foi lançado na área, David Luiz não chegou a tempo de dar combate, e o camisa 9 fuzilou. A bola passou por baixo de Alisson e entrou.

A seleção ia se abatendo e ficando nervosa, mas tentava se mostrar viva. Aos 12 minutos, Filipe Luis levantou na segunda trave e Fernandinho cabeceou para o meio, mas ninguém apareceu para conferir.

Com o empate, a partida o jogo foi ficando mais pegado. Os lances de perigo foram ficando mais escassos, dando lugar a divididas mais ríspidas. Aos 17, Neymar entrou por cima do tornozelo de González, levou cartão amarelo e será desfalque contra o Paraguai na próxima terça por suspensão.

A criatividade do primeiro tempo já não se repetia, mas mesmo assim o Brasil apertava. Aos 25 minutos, Neymar cobrou escanteio e David Luiz tinha tudo para completar para o gol, mas foi agarrado por Cavani, seu companheiro de time no Paris Saint-Germain. A arbitragem não marcou pênalti.

A parte final do clássico foi em grande parte favorável aos uruguaios, que levaram grande perigo em pelo menos três ocasiões. Aos 35, Suárez ganhou de dois pela esquerda e cruzou buscando Cavani, mas Filipe Luis afastou.

Os instantes finais tiveram contornos de drama. Aos 40 minutos, David Luiz cabeceou para trás e acabou dando bom passe para Suárez, que ficou cara a cara com Alisson. Criticado pelo segundo gol, o goleiro do Internacional se redimiu defendendo com o pé.

Três minutos depois, quem salvou foi Miranda. ‘Luisito’ aproveitou mais uma bobeada da zaga e rolou para González, que bateu de primeira. O zagueiro amorteceu com um carrinho e Alisson pegou firme.

Brasil: Alisson; Daniel Alves, Miranda, David Luiz e Filipe Luis; Luiz Gustavo e Fernandinho (Philippe Coutinho); Willian (Lucas Lima), Renato Augusto e Douglas Costa (Ricardo Oliveira); Neymar. Técnico: Dunga.

Uruguai: Muslera; Fucile, Coates, Victorino e Álvaro Pereira; Arévalo Ríos, Sánchez (Stuani), Vecino e Cristian Rodríguez (González); Suárez e Cavani. Técnico: Óscar Tabárez.

Árbitro: Néstor Pitana (Argentina), auxiliado pelos compatriotas Juan Pablo Belatti e Ezequiel Brailovsky.

Cartão amarelo: Neymar, Daniel Alves e David Luiz (Brasil); Suárez (Uruguai).

Gols: Douglas Costa e Renato Augusto (Brasil); Cavani e Suárez (Uruguai).

Estádio: Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE).

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *