Últimas

"Brasil não causa medo" e "não joga bonito". O que dizem jornais paraguaios

Aquela seleção brasileira que causava medo nos adversários pelo mundo, especialmente nos da América do Sul em confrontos das Eliminatórias da Copa, acabou. É a conclusão que passam os jornais paraguaios ao falar da partida da noite desta terça-feira (29), entre Brasil e Paraguai, nos Defensores del Chaco, pela 6ª rodada da briga por uma vaga na Rússia 2018.

Os diários destacam a pressão que se faz em terras brasileiras em cima de Dunga e destacam a frase do treinador dizendo que a equipe precisa “ao menos pontuar em Assunção”. Além disso, gostam de mostrar que os brasileiros demonstram respeito ao comentar do confronto.

“Diferentemente de outros tempos, aquele medo de enfrentar a seleção ficou para trás. De cara, o confronto desta noite já passa a ser equilibrado. O Brasil chega com respeito ao Paraguai, que já mostrou que tem com quem se preocupar pela frente. Antigamente, as apostas eram plenamente de favoritismo para eles, sem se importar com o cenário do encontro”, destacou o jornal ABC, um dos principais de Assunção.

O Hoy, outro periódico paraguaio, admite a vantagem histórica do Brasil contra o Paraguai, mas destaca que o estilo de jogo não encanta mais como antigamente, usando até o slogan que acompanhou a amarelinha por um tempo, na época áurea de Ronaldinho Gaúcho.

“Sem dúvida, os tempos são outros. A seleção de Dunga não honra o slongan de “jogo bonito”. Empatou com muita dificuldade na última rodada, contra o Uruguai, jogando em casa”, destacou.

DAVID LUIZ É IRONIZADO POR PARAGUAIOS

A ausência de Neymar também é destaque nas notícias em Assunção. O La Nación, por exemplo, destaca o péssimo segundo tempo brasileiro contra o Uruguai, na última sexta-feira, em Recife. E fala da péssima fase defensiva da verde e amarela.

“O Paraguai precisa se impor diante da debilitada seleção brasileira, que vem de um péssimo segundo tempo contra o Uruguai e chega sem sua principal estrela, Neymar”, afirmou o jornal.

Em compensação, a ausência de David Luiz vira ironia. “A equipe de Dunga foi uma lástima defensivamente (contra o Uruguai). A ausência do zagueiro vai acabar favorecendo a seleção brasileira, mas a ausência do atacante diminui o poder de fogo”. 

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *