Últimas

Conhecido pelo humorístico A Praça é Nossa, multiartista Moacyr Franco faz show no Recife

No repertório, sucessos como "Ainda ontem chorei de saudade". Foto: Middia/Divulgação
No repertório, sucessos como “Ainda ontem chorei de saudade”. Foto: Middia/Divulgação

Trajado com roupas femininas e peruca ruiva, Moacyr Franco vive, diante das câmeras do humorístico A praça é nossa, relação íntima com a arte. Sentando ao lado de Carlos Alberto de Nóbrega, o mineiro, despido de vaidades na pele do personagem Jeca Gay, acrescentou mais um caminho à trajetória artística iniciada ainda na infância. Sobre palcos, acompanhado por banda, o multiartista assume o papel mais antigo da carreira ao interpretar canções que vão de marchinhas carnavalescas a clássicos sertanejos. “Descobri a música primeiro. Fazia só isso até descobrir que um humorista poderia ser cantor”, lembra. Em comemoração aos 80 anos de vida – que serão alcançados em outubro deste ano – , o cantor, ator e compositor traz ao Recife as várias faces que o consagraram. A mistura poderá ser vista nesta sexta (18), às 21h, no Teatro RioMar.

Confira o roteiro de shows do Divirta-se

O show será uma compilação de memórias e sucessos. Diante do microfone, além de canções, a voz de Moacyr Franco servirá de canal para piadas e histórias vividas ao longo das mais de cinco décadas de carreira. “Serão quase 30 músicas para o público cantar, mas também terão momentos de humor, com muitas brincadeiras”, destaca. Durante a apresentação, o lado musical do mineiro também assumirá o protagonismo da noite ao som de composições como Querida, Suave é a noite, Seu amor ainda é tudo, Pedágio, Cartas na mesa, O amor por nós dois e Ainda ontem chorei de saudade.

[embedded content]

Apesar de ter nascido em Ituiutaba, Minas Gerais, o primeiro sucesso nacional do cantor foi um frevo. A letra de Turbilhão (A nossa vida é um carnaval), gravada por ele em 1978, ecoa nas ladeiras de Olinda e ruas do Recife ao longo do período carnavalesco. A canção é o principal elo entre Moacyr e os pernambucanos: “Quando canto no Recife, coloco a música no início e no fim do show. Não faço isso nos outros lugares do Brasil. Acho prazeroso cantar esse frevo”. No campo musical, o mineiro vivenciou alguns dos momentos mais marcantes da carreira. Um deles, é o primeiro destacado quando faz um balanço da trajetória artística: “Ganhei 42 discos de ouro”. Além de reconhecimento como cantor, o artista teve composições gravadas por nomes como Chitãozinho & Xororó, Paula Fernandes e João Mineiro & Marciano.

Serviço

Onde: Teatro RioMar (4º piso, RioMar Shopping, Pina)
Quando: nesta sexta (18), às 21h
Ingressos: R$ 140 e R$ 70 (meia)

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *