Últimas

Contra roubos nos estoques, Amazon intimida funcionários

Roubos nos estoques são um dos principais problemas de grandes varejistas. Para desencorajar a atitude em seus funcionários, a Amazon passou a exibir vídeos das câmeras de segurança que flagraram trabalhadores da companhia pegando produtos.

Segundo as pessoas que trabalham nos estoques da Amazon, agora, enquanto elas estão se preparando para entrar em seu turno, televisões ficam exibindo as imagens de colegas que roubaram e foram demitidos – nos vídeos eles não são identificados.

A silhueta do ex-funcionário aparece ao lado das informações do que foi desviado, o seu valor e como ele foi pego, em alguns casos, a pessoa muda o endereço de um pacote ou coloca objetos menores nas meias, por exemplo. Alguns vídeos também informam se a pessoa foi presa.

A lista de produtos extraviados é da mais variada: DVDs, iPad, joias, maquiagem, micro-ondas, isqueiros, jogos de video games e por aí vai. Um funcionário chegou a ser demitido após pegar o almoço de um colega.

O roubo é uma preocupação constante para a Amazon, com armazéns cheios de pequenos, mas valiosos itens, e uma força de trabalho com alta rotatividade e baixos salários. Por isso, outras táticas são usadas além dos vídeos, como a revista dos funcionários.

Em 2010, vários trabalhadores de um centro de distribuição na Pensilvânia, nos EUA, precisaram de cuidados médicos depois ficar horas no frio após um alarme de incêndio disparou. A empresa não permitiu que as pessoas, que estavam de shorts e camiseta por causa do calor dentro do local, ficassem dentro de seus carros, porque a Amazon estava desconfiada de que o alarme tinha sido disparado intencionalmente para cobrir um furto.

O método dos vídeos divide opiniões entre os colaboradores. Para o funcionário Maurice Jones, essa é uma forma de as pessoas saberem que estão sendo vigiadas. Já James McCracken acha ofensivo. “É um jeito estranho de assustar as pessoas”.

Via Bloomberg

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *