Últimas

Em série no final do ciclo de alfabetização, 12,2% foram reprovados em 2014

No 3º ano do ensino fundamental, etapa em que um aluno está no final do ciclo de alfabetização, 12,2% dos estudantes no Brasil foram reprovados em 2014. O dado foi apresentado pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante, nesta terça-feira (22), durante a coletiva do Censo de Educação Básica 2015. 

Para o ministro, este dado é o “ponto sensível” para cumprimento de uma das metas do PNE (Plano Nacional da Educação) de alfabetizar todas as crianças até os 8 anos. No 3º ano, a alfabetização dos alunos é avaliada. 

Segundo o Censo de 2015, na educação infantil, são 7,9 milhões de crianças matriculadas – 3 milhões em creches e 4,9 milhões na pré-escola. Já no ensino fundamental, são 27,8 milhões de matrículas – 15,2 milhões nos anos iniciais e 12,3 milhões nos anos finais. No ensino médio, são 8,1 milhões de estudantes.

Medidas

Para combater a deficiência na alfabetização, o ministro anunciou um Programa Integrado de Apoio à Alfabetização e Letramento. O projeto integra o Pnaic (Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa), o Pibid (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência) e o Mais Educação para que eles atuem de maneira mais acentuada na alfabetização das crianças.

No Pnaic, foi anunciado um coordenador específico para as atividades de alfabetização e letramento. Além disso, será feito um atendimento aos alunos de 4º ao 9º ano com alfabetização incompleta e letramento insuficiente.

O Mais Educação, projeto que visa à construção de uma agenda integral nas escolas municipais e estudais, agora será dividido em dois grupos: escolas prioritárias e demais escolas. Nas prioritárias, que são 26 mil instituições, haverá um coordenador do Pnaic para alfabetização e letramento.

Já o Pibid, que oferece bolsas para que alunos de licenciatura atuem dentro das escolas públicas com a orientação de um docente, organizou sua atuação em três eixos: alfabetização, letramento no ensino fundamental e ensino médio.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *