Últimas

Estreante no júri, Daniela Mercury quer ser a "rainha má" do "SuperStar"

A terceira temporada do “SuperStar” estreia no dia 10 de abril com novidades no horário, nas regras e na bancada: sai o pagodeiro Thiaguinho e entra Daniela Mercury. A cantora baiana se junta a Paulo Ricardo e Sandy.

“Quero ser a rainha má da edição. Sou alegre, brincalhona, mas sou séria e muito exigente. Vou julgar como gostaria de ser julgado, que é de uma forma profissional e extremamente respeitosa e honesta. Passei muitos anos querendo ouvir um comentário sobre mim, sobre o meu trabalho e acho que as bandas querem isso de mim”, explicou Daniela durante evento de lançamento do reality show nesta quarta-feira (30).

E não foi só Daniela que prometeu ser rigorosa em suas escolhas. Sandy assumiu que vai ter uma postura diferente da edição anterior. “Vou tentar ser mais criteriosa. Seguir o coração, mas com seriedade no julgamento. Assumo que meu coração falou mais alto no ano passado em alguns julgamentos. Disse sim para pessoas que acabaram se perdendo mais à frente e isso eu não quero repetir”.

O fato do jurado não ser mais padrinho das bandas – umas das novas regras – irá proporcionar maior liberdade na votação. Este ano, os cantores não terão a obrigação de salvar uma banda do seu time. “Isso era chato. Ter que votar no seu afilhado, mas achar que os concorrentes foram melhores. Gostei dessa mudança”, completou Paulo Ricardo.

Fernanda Lima continua na apresentação e Rafa Brites nas reportagens. A única baixa das edições anteriores e André Marques. “Ele saiu por estar envolvido em outros projetos como ‘É de Casa’  e ‘Ana Maria Braga’. Seria muito André Marques em um curto espaço de tempo”, admite Frederico Oliveira, diretor da atração musical.

Ele também comentou sobre a expectativa em cima do programa. “Estamos batalhando para ocupar o nosso espaço dentro da música popular brasileira como um programa que revela talentos. Nessa temporada, a nossa responsabilidade é ainda maior porque vamos levar um conteúdo para a família brasileira e estamos pegando uma carona no sucesso que foi o ‘The Voice Kids'”.

Novas regras

Se ano passado foram 14 programas, em 2016 serão 12. Na primeira fase do reality, classificatória, são quatro apresentações, e as bandas vão precisar atingir 70% dos votos para a tela subir. As quatros primeiras colocadas passam direto para a próxima fase. O restante, além de atingir a marca tem que pontuar em um ranking para voltar no quinto programa de repescagem. 

A idade mínima dos participantes por ser um programa diurno diminuiu: 11 anos.”Vamos ter surpresas.  Várias bandas famílias, membros bem jovens e uma variedade enorme de ritmo. A competição será bem acirrada” finalizou Frederico.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *