'Fui meio ingênuo', admite chefe de equipe que estreia neste ano na F-1

Com seus motores híbridos e alta precisão, a Fórmula 1 assustou até mesmo o estreante Gene Haas, que comanda a equipe que leva seu nome a partir da temporada 2016. O norte-americano chegou a reconhecer que foi “ingênuo” ao começar seu projeto e não imaginava que a categoria era tão complexa.

“Isso aqui não é a Carolina do Norte, cheguei a essa conclusão”, admitiu. “A complexidade dos carros e dos motores e o que eles estão fazendo com isso vai além de qualquer expectativa minha. Acho que os aspectos técnicos destes carros são fascinantes. Então acho que por um lado é um desafio. Por outro, não acho que os fãs realmente entendam o quão complexo isso é. Nem eu sabia.”

A surpresa de Haas, que está há dois anos se preparando junto de sua equipe para a estreia, foi tanta que o norte-americano, que tem longa experiência na Nascar, disse que foi “meio que ingênuo a respeito do que faz esses carros correrem.”

Um exemplo dado pelo dirigente são os freios. “Você não vai simplesmente lá e freia. Você tem de aquecer os freios a uma temperatura exata e, se isso não acontecer, eles não vão funcionar. E se não fizer isso direito você vai superaquecer os freios e coisas catastróficas podem acontecer se isso não for feito de forma perfeita.”

Apesar da surpresa, a Haas demonstrou um bom desempenho nos testes da pré-temporada, conseguindo uma quilometragem e tempos no mesmo nível da Manor, time que faz sua sexta temporada na categoria. O campeonato começa dia 20 de março, na Austrália.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *