Últimas

Goleiro recusa grana pra entregar jogo, é chamado de tonto e entrega time

Chamado de tonto e com dois meses de salários atrasados, o goleiro do CD Acero, da quarta divisão espanhola, recebeu uma proposta para ganhar mil euros. Para isso, bastava sofrer um gol diante do lanterna do campeonato. Oumar Diaby, no entanto, recusou o dinheiro sujo. Duas vezes. E ainda revelou que seus companheiros estavam envolvidos e fizeram corpo mole.

“Um companheiro me ligou e ofereceu 500 euros [cerca de R$ 2 mil] para que eu tomasse um gol. No dia seguinte me ligaram novamente e ofereceram mil euros [R$ 4 mil, aproximadamente]. Já cheguei a ficar um ano sem salário. Agora estava com salários atrasados havia dois meses, mas podia continuar sobrevivendo. Voltei a dizer não”, contou Diaby à Cadena Cope.

Mas o goleiro francês não conseguiu impedir a derrota por 1 a 0 de sua equipe para o Recambios Colón, que com o resultado deixou a zona de rebaixamento. Diaby sofreu um gol no fim da partida. “Será o único tonto que não participou de nada”, relatou o goleiro, repetindo o que ouviu de um companheiro.

“Durante a partida vi que alguns jogadores poderiam ter feito algo a mais”, denunciou Diaby. Diante do caso, a diretoria do Acero não ficou parada. Os dirigentes analisaram o duelo e admitiram que havia algo estranho com alguns jogadores. No dia seguinte, fizeram a denúncia à justiça local.

“Alguns jogadores do nosso elenco principal, em conivência com terceiros, tiveram condutas antidesportivas para alterar o resultado da partida da rodada 27 contra o Recambios Colón. Não vamos permitir que algumas pessoas acabem com o prestígio de cem anos de história do nosso clube”, informou um comunicado oficial do Acero.

As autoridades agora investigam o caso e já sofrem pressão de outras equipes prejudicadas pelo esquema. Outras partidas estão sob análise. Diaby, por sua vez, garante que recusou todas as propostas e está limpo. “Eu disse que não queria nada. Seria dinheiro para hoje e m… para a vida toda”, completou.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *