Últimas

Ideias para mudar o mundo: ensinar com objetos em vez de textos

Qual é a melhor forma de aprender ou ensinar uma matéria? Essa é uma questão que está em debate há décadas e que continua a dividir opiniões em muitos países ao redor do mundo. As salas de aula tradicionais têm sido desafiadas por métodos mais modernos. Algumas pessoas defendem que a experiência com “objetos” é a chave para o melhor aprendizado.

Uma série de estudos do Centro de Ensino da Universidade Columbia, nos Estados Unidos, mapeou as dificuldades de envolver os alunos e descobriu que eles conseguiam se manter atentos por apenas 40% do tempo de uma aula normal.

Mais para o final da atividade, quase ninguém mais estava prestando atenção. Os estudantes que participaram da pesquisa conseguiram reter somente 20% do conteúdo transmitido nos últimos 10 minutos. E eles ficavam rapidamente entediados.

Se esses estudos estiverem certos, é bem possível que o tempo que muitos alunos passam na escola esteja sendo desperdiçado.

Entre as propostas para mudar isso está a sugestão de tirar os alunos de sua zona de conforto e transformá-los em agentes ativos – processo muitas vezes chamado de “aprendizado pela experiência”.

Um dos fatores-chave é a crença de que a alta dependência de textos em livros diminui o interesse dos alunos nas matérias e faz com que eles não se envolvam de maneira criativa e interativa.

O sociólogo americano James W. Loewen, autor do livro My Teacher Told Me: Everything Your American History Textbook Got Wrong (Meu professor me contou: Tudo o que está errado no seu livro de história americana), opina que “textos de História são muito previsíveis; todo problema já foi resolvido ou está perto de ser resolvido. Os livros excluem conflitos ou qualquer suspense (da narrativa)”.

Projeto

Um projeto educacional no Reino Unido que tem como objetivo fugir do ensino centrado apenas em livros teve sua inspiração em uma série da BBC, “A History of the World in 100 Objects” (A história do mundo em 100 objetos).

A série trazia histórias por trás de centenas de objetos exibidos no Museu Britânico, de civilizações antigas até a era moderna.

O projeto “Ensinando História com 100 objetos” foi o resultado de uma colaboração entre museus no Reino Unido – o projeto foi financiado pelo Departamento de Educação para “aproveitar o poder dos objetos para motivar o interesse de jovens na história e para estimular novas ideias de ensino”.

Mas a efetividade de novos métodos de ensino ainda tem sido testada e não é unanimidade entre estudiosos.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *