Últimas

Sanders pressiona Clinton nas primárias deste sábado

Para superar Clinton, Sanders é obrigado a vencer por uma larga margem as primárias que restam. Foto: Jason Redmond/AFP
Para superar Clinton, Sanders é obrigado a vencer por uma larga margem as primárias que restam. Foto: Jason Redmond/AFP

Os estados do Alaska, Havaí e Washington votam neste sábado para escolher o candidato presidencial democrata com o senador Bernie Sanders forçado a ganhar amplamente para se aproximar de Hillary Clinton.

Os eleitores do Estado de Washington próximo da fronteira com o Canadá, começaram a votar às 10h locais e serão seguidos por Alasca e Havaí.

Os democratas desses três estados se pronunciarão em seus respectivos caucus, assembleias partidárias nas quais se vota geralmente de mão levantada. No Havaí, ao contrário, o pronunciamento do caucus é feito mediante voto secreto.

O reduto mais importante é Washington, que garante 110 delegados à convenção nacional do Partido Democrata que será realizada no final de julho na Filadélfia para escolher o candidato.

o senador Sanders, que se autodefine como um democrata socialista, realizou três grandes eventos no estado de Washington durante a semana. Em Seattle, ele reuniu uma multidão em um estádio de beisebol.

“Precisamos de uma revolução política”, disse Sanders depois de criticar a brutalidade da polícia, o baixo salário mínimo, as dívidas que sobrecarregam os estudantes e outros males dos Estados Unidos.

“Se a participação for forte em Washington, nos sairemos muito bem”, afirmou Sanders na sexta-feira em Portland, a cidade mais populosa do estado vizinho de Oregon, que se pronunciará em maio.

De acordo com uma pesquisa da RealClearPolitics, nos restantes dos Estados com maior distribuição de delegados (Califórnia, Nova York e Pensilvânia) Clinton tem uma vantagem que oscila de 9% entre os californianos e 34% entre os nova-iorquinos.

Um simbolismo escondido
Sanders, no entanto, protagonizou um momento quase mágico na sexta-feira quando um pássaro aterrizou no palco e se instalou sobre o púlpito, junto ao microfone usado pelo senador.

Sanders interrompeu seu discurso por uns instantes sob aplausos do público. “Acho que deve de haver algum simbolismo nisso”, comentou Sanders.

Sanders citou pesquisas que o apontam como vencedor folgado caso concorra com o republicano Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro.

“Pensar em Trump na Casa Branca provoca reações estranhas (…), que geram náuseas e outros sintomas. Mas a boa notícia é que Donald Trump não vai ser presidente dos Estados Unidos”, afirmou.

Mais da metade dos delegados democratas já foram alocados em trinta primárias. Hillary Clinton conseguiu 57% delas, às quais se adicionou o apoio declarado de 500 “superdelegados”; como são chamados os líderes e legisladores que votarão na convenção nacional, a ser realizada no prazo de quatro meses.

Clinton tem 1.711 delegados contra 952 de Sanders, de acordo com uma estimativa CNN. Para ser investido na Convenção Nacional, são necessários 2.383 votos.

Para superar Clinton, Sanders é obrigado a vencer por uma larga margem as primárias que restam.

Nos estados em que haverá votação neste sábado, as pesquisas são bastante inconsistentes para mostrar uma tendência.

Mas Clinton parece esperar um resultado honroso em Washington, onde fez campanha na terça-feira e onde também fez campanha de seu marido, Bill, e sua filha, Chelsea.

Em 2008 Barack Obama venceu Hillary com folga em Washington, e em 1992 Bill Clinton terminou em quarto lugar nesse estado.

O governador, dois senadores e seis representantes de Washington democratas já deram seu apoio.

Clinton tem cortejado os sindicatos ao visitar Everett; onde 30.000 trabalhadores da Boeing constroem numa plataforma gigante os aviões 747 e os Dreamliner, entre outras aeronaves.

“Nós fazemos um grave erro de minar o trabalho dos carpinteiros, encanadores, técnicos, eletricistas e soldadores”, disse Clinton terça-feira divulgando propostas para aumentar a produção.

As próximas semanas serão relativamente calmas. Em abril haverá primárias em Wisconsin (5), Wyoming (9) e Nova York (19) antes de um novo “Super Tuesday” no dia 26, com primárias em cinco estados.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *