Startup do fundador do Napster poderá alimentar sites de torrent

Se os planos de co-fundador do Napster, Sean Parker, se concretizarem e o Screening Room for criado, os filmes que acabaram de ser lançados no cinema poderão ser exibidos em casa. Mas, apesar do apoio de grandes diretores, nem todo mundo está feliz com a novidade. De acordo com a AHC (Art House Convergence), uma cadeia de 600 salas de cinema, a startup irá fornecer conteúdo de qualidade para sites de torrent.

A empresa publicou uma carta aberta em repúdio ao projeto. “O modelo proposto é incongruente com o setor de exposições de filmes, desvalorizando a experiência no cinema e permitindo aumento da pirataria. Além disso, questionamos seriamente a economia do modelo de partilha de receita proposto”, afirma o texto.

“Nós acreditamos que se os estúdios, distribuidores e grandes cadeias adotarem este modelo, veremos um princípio de incêndio de conteúdo pirata, e, consequentemente, uma diminuição da rentabilidade global”, diz a AHC.

A rede defende que os cinemas investiram em tecnologia em nome da prevenção da pirataria e mesmo assim eles têm dificuldade de controlar os espectadores de filmarem através de um celular, por exemplo; e questionam como a startup pode controlar alguém de copiar o filme.

Via Torrent Freak

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *