Últimas

Taxa média de desemprego chega a 8,5% em 2015, diz IBGE

São Paulo, 15 mar (EFE).- O desemprego no Brasil alcançou em 2015 uma taxa média de 8,5%, a maior desde a implementação da nova medição em 2012, segundo informou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

O dado corresponde à Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios contínua (PNAD), um indicador adotado desde 2012 e que inclui as recomendações da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Em 2014, segundo os novos parâmetros que levam em conta a cada mês a referência do trimestre rotativo, a taxa de desemprego tinha sido de 6,8%.

O desemprego entre outubro e dezembro do ano passado foi de 9%, o que supera em três pontos percentuais os 6% registrados no mesmo período de 2014.

De acordo com o IBGE, 9,08 milhões de pessoas estavam sem emprego no último trimestre de 2015, o que representa 2,6 milhões a mais em comparação com o período outubro-dezembro de 2014.

Os dados são reflexo da delicada situação econômica que o país atravessa, que se viu agravada por uma aguda crise política.

Ao aumento do desemprego se soma uma elevada taxa de inflação -que fechou 2015 em 10,67%-, e uma forte queda do Produto Interno Bruto (PIB), que no ano passado se contraiu 3,8% e para 2016 prevê que voltará a terminar em números vermelhos.

Caso as previsões do mercado virem realidade, a economia terá em 2016 uma contração de 3,54% e pela primeira vez desde 1930 o país acumularia dois anos consecutivos com um PIB negativo.

A amostra demográfica do IBGE contou com informações de 211 mil domicílios de 3.464 municípios de todo o país e substitui a anterior medição que levava em conta o desemprego nas seis maiores regiões metropolitanas do país.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *